Review de No Rest For The Wicked – 3×16

Em primeiro lugar: COMO ESTOU ORGULHOSA DE SER FÃ DE CARTEIRINHA DE SUPERNATURAL!!

Como estou feliz de poder dizer: valeu a pena tanta espera, tanta angústia, tanta curiosidade. Valeu a pena tanta lealdade a série depois de meses de indefinição sobre a greve, depois de semanas sem saber de nada do que estava acontecendo.

E mais: meu eterno agradecimento a Eric Kripke e seus colaboradores. Foi ele quem concebeu Supernatural, é dele as principais idéias e sugestões, foi dele a palavra final sobre a escolha de Jensen Ackles e Jared Padalecki pra viverem Dean e Sam Winchester, foi dele que saiu o brilhantismo de No Rest For The Wicked… Ele é o responsável pelo meu estado de espírito logo depois de ter visto o episódio.

Não posso esquecer tb da direção primorosa de Kim Manners, do roteiro, da equipe técnica, e principalmente dos seres maravilhosos que conseguem transmitir para nós tudo que o maestro Kripke que passar. Jensen como Dean esteve brilhante do início ao fim do episódio, desde o momento em que ele, Dean, sonhou com cães do inferno, até o momento dele estar sendo degustado e “apreciado” (urgh) por eles, sendo mandado pra aquela coisa horrorosa onde ele está. Jared conseguiu de forma fantástica mostrar tudo que Sam sentia. Mostrou dor, revolta, desespero, esperança, e muita raiva. Parabéns aos dois.

Parabéns a Katie Cassidy como Ruby/Lilith e como sempre parabéns a Jim Beaver que mais uma vez foi soberbo como Bobby, o pai postiço deles…

Enfim parabéns a todos, pq depois de tanta coisa com essa temporada, SPN poderia ter afundado, se perdido e ficado sem rumo. Mas depois de tudo, a equipe escolheu um caminho: o pacto do Dean, e fez disso um encerramento de temporada maravilhoso.

Pois bem, vamos ao comentário sobre o episódio.

The Road So Far, sem Carry On My Wayward Son, não é season finale de SPN. Carry On se tornou marca registrada de SPN como encerramento de mais um ano de lutas, brincadeiras, angústia e muito, mas muito amor entre dois irmãos e sua busca. Não dá pra conceber a The Road So Far sem essa música. E qdo eu ouvi eu me arrepiei toda, mesmo torcendo pra que fosse Hell’s Bells do AC/DC.. rsrs… Mas a abertura foi linda.. De arrepiar.. Começou daí toda a emoção que o episódio foi.

Em seguida veio o Dean correndo, apavorado, tentando escapar de algo, que eu presumi mesmo que fossem os cães do inferno.. E quando vimos que eram mesmo os tais cães, eu já fiquei com coração pequeno e pensei: esse episódio não vai começar com a morte dele!

Dito e feito! Foi um pesadelo.. E que pesadelo!!!.. Quem já sonhou com a própria morte sabe o que estou falando, então imagina saber de verdade que aquele sonho vai ser daquele jeito mesmo, com cães o matando e o levando pra um lugar cheio de gente doida pra botar as mãos em vc!! Quando Dean acordou eu fiquei impressionada com o abatimento dele. Aí vai mais um elogio: a caracterização de Jensen como Dean. Ele estava perfeito.. Estava abatido, com olheiras, cansado, triste, barba por fazer.. Ele estava mesmo como alguém que não dorme e nem come direito há dias, alguém que busca uma solução pra um big big big big problema..

Lindo ele tentando fazer piada sobre ir pro México fumar, beber e transar.. Deve ser duro saber que dali a trinta horas vc nunca mais vai fazer td isso que vc gosta tanto. E mais fofo ainda foi Sam falar aquilo tudo pra ele, que td daria certo, que ele faria tudo pra salvá-lo. Foi fofo Sam dando uma de Dean, dando uma de encorajador, protetor e guerreiro. Eles trocaram de lado ali. Mas em seguida Dean tem a alucinação e não consegue esconder o medo e a preocupação com seu futuro.

Bobby e suas geringonças que salvam a pátria!! Rsrs.. Muito bacana o “GPS” de demônio.. Muito mesmo.. E em seguida pudemos ver uma pequena amostra de como estava a ansiedade e a angústia Sam. Por ele teriam ido de avião, helicóptero ou qualquer coisa mais rápida. Mas Dean estava tão calejado depois do que houve em Long Distance Call e TIOMS que tratou logo de botar um freio no Winchester caçula. E uma coisa se destacou ali pra mim: a preocupação dele com Sam.. O fato de um dos motivos dele não querer ir atrás de Lilith é o fato dela querer Sam morto. E tb a desconfiança eterna, o pé atrás que Dean tem com Ruby. Sam pode falar mil vezes, mas Dean não confia e acho que não vai confiar nunca na Ruby. Parece que ele sabe que lá no fundo ela não quer boa coisa pro seu irmão caçula. Dean parece que pressente que Ruby pode vir a ser uma arma perigosa pra Sam.

Detalhe: jamais imaginei que veria Dean Winchester atrás de uma mesa lotada de livros em plena guerra rolando lá fora!! Mesmo que essa procura toda nesses livros fosse a busca pra sua salvação.. Mas eu gostei.. Ficou diferente e muito sugestivo sobre os sentimentos reais de Dean ali.

E como Dean conhece muito bem seu irmão, ele sabia que Sam não ia ficar quieto, obedecendo a ele. E então Dean fez uma bela jogada. Deixou Ruby aparecer, deixou Sam fazer o que ele queria, e ao mesmo tempo conseguiu a arma que ele poderia ter alguma chance com a Lilith.

Muito interessante a conversa de Sam e Ruby. Finalmente tivemos a confirmação que Sam pode usar seus poderes, que seus poderes não sumiram com o YED e que realmente a salvação de Dean estava nas mãos dele. Mas isso foi dito por uma demo que já mentiu várias vezes, que parece estar manipulando Sam todo momento. Foi dito por uma pessoa que esconde e muito o jogo. Dean tem razão em ficar mais que ressabiado com ela, eu tb ficaria. Ruby não deixa claro qual é a dela.. Ela fica soltando pontos e não desembucha de vez.. Então Dean tem toda razão em não querer que ela chegue perto do seu irmão, pq nenhum dos dois sabe de verdade qual é a do Sam tb, o que esse maldito inferno quer com ele. Ruby acertou Sam em cheio qdo falou tudo aquilo pra ele: que ele não gosta de ser diferente, que ele fica magoado por Dean olhar pra ele de forma estranha, que ele se recusa a aceitar quem ele é. E Dean acabou com a festa dela, qdo chegou daquele jeito, rsrs. E a briga dos dois foi boa, muito boa. Ruby já estava merecendo mais que um soco, eu ainda a acho uma bitch dos infernos. E vamos combinar que o Sam ficou muito tempo lá no chão caído. Poxa, seu irmão levando uma coça de um demônio e ele caído no chão limpando sangue da boca? Acorda Sam!! Hehehe.. Dean mais uma vez usando sua malandragem que lhe é peculiar e como sempre não ia sair sem deixar uma de suas famosas frases: “E eu queria que você fechasse sua matraca, mas nem sempre a gente consegue o que quer”. rsrs

Então veio a primeira conversa entre eles. E que conversa !! Sam tentando admitir que realmente pode usar seus poderes, que está cansado de ver Dean olhando pra ele como se ele fosse louco, e que está disposto a qualquer coisa, mas qualquer coisa mesmo pra livrar Dean de Lilith. E como eu cansei de avisar pra uma certa pessoa (né Diego?? Rsrs) Dean não vai permitir que Sam se sacrifique ou que morra por ele. Não mesmo. Dean não vai permitir que demônios levem seu irmão seja lá pra que lado for. Foi como eu disse num comentário anterior: Dean tem medo, não quer morrer, mas se a salvação dele for a custa de alguma coisa ruim pro Sam ele senta na frente da lareira e espera Lilith chegar. E foi o que ele falou ali pro Sam: que ele não iria permitir que os demos levassem mais essa. Já bastava John e ele terem caído num papo de “pacto”, Sam ele não iria permitir. E foi uma resignação tão dolorosa quando ele falou: ”Sammy, td que estou dizendo é que vc é meu ponto fraco.. Vc é.. E eu sou o seu”.. E Sam tenta dizer pra ele que ele não pode estar falando sério, que eles eram uma familia, que Dean sempre disse isso a ele.. E Dean :”Eu sei. E aqueles demônios filhos da puta sabem disso também. Quer dizer, o que nós fazemos um pelo outro. Vc sabe o quão longe nós iremos. Eles estão usando isso contra nós” … Engasguei pela primeira vez aí..

Dean tentando ser Dean ainda, tentando ser forte, tentando não entregar os pontos, tentando não permitir que Sam caia em conversa furada de demônio.. Foi algo muito sensato partindo de uma pessoa tão passional e impulsiva como Dean. Sam tentando desanuviar o ambiente, foi lindo. Foi gratificante ver nosso Sammy olhar pro irmão com um jeito tão amoroso, com um olhar mais que de gratidão, com um olhar de profundo respeito e admiração..

Gente,vamos combinar uma coisa, pq diabos Dean foi perguntar sobre como é que demônios se divertem?? Que coisa mais horrível!! Lilith é malvadona mesmo… Fazer aquilo com aquela família.. eca!! E aqui vai outro elogio: a menininha estava ótima como “Lilith”.. Um misto de inocência e crueldade, frieza e dissimulação.. Muito bom mesmo.. Foi assustador.. Foi angustiante..Foi tenso… Imagina a situação dos envolvidos.. Uia..

Bobby conhece o chão onde pisa.. E como conhece… Ele sabia que os meninos iriam fazer alguma coisa e ele não ficou quieto esperando.. Adorei quando bancou e banca pai postiço e mete bronca neles.. Principalmente em Dean que tentou excluí-lo do processo, até acho que por medo mesmo, não pq ele não confiasse no Bobby. E adorei qdo uncle Bobby disse:[i]”Família não é apenas de sangue, garoto!”[/i].. As melhores duras que Dean leva é do Bobby, ele tem um jeito todo especial de deixar Dean sem argumentos, sem ter o que revidar. E além do mais uncle Bobby sabe das coisas.. Isso é fato..

E então veio um dos momentos mais lindos de SPN.. Um dos momentos mais emocionantes de toda a série.. Os dois dentro do Impala cantando.. E a música mais que combinou com o momento, foi muito bem escolhida… Nem Sam acreditou que Dean queria que eles cantassem Bon Jovi juntos.. Foi muito lindo Dean fazendo Sam ficar um pouco mais aliviado, foi muito lindo ver Sam soltar a tensão e entrar na brincadeira. Foi dolorosamente emocionante ver que algo tão simples como cantar uma canção dentro de um carro, se tornou algo tão importante pra eles. Foi lindo ver Sam soltando o gogó como a gente nunca tinha visto antes.. Foi ótimo saber que ele sabe se divertir com as bobagens do Dean..[i]”Bon Jovi detona.. nessa ocasião!” [/i] ..Pq a gente sabe que Dean adora zoar com os gostos musicais do Sam rsrs…E Dean começa a berrar [i]”And I walks these streets! A loaded six-string on my back. I play for keeps!”[/i]… E então Sam começa com um tímido “[i] Oh, yeah![/i].. Dean continua berrando, Sammy sorri e solta o gogó.. Que coisa linda!! Que coisa mais que perfeita o desempenho de Jensen.. Qdo Dean vê que Sam entra no jogo, ele fica aliviado por ver a tensão e o medo deixarem seu irmãozinho por um momento.. Dean se sente mais que feliz por fazer seu irmão sorrir de novo.. Nem que seja por um momentinho..E ao mesmo tempo que ele sente isso, ele sente medo e saudade por algo que talvez nunca mais ele venha a ter..

As visões do Dean.. Achei muito interessante isso.. O fato dele poder ver a crueza de uma cara demoníaca.. Tinha que ser o cético Dean mesmo a poder ver isso.. rsrs.. Sei que Bobby falou, mas só queria saber mesmo se é por causa da proximidade da morte, ou se é pq ele pode fazer isso agora.. Queria saber se ele agora pode ver demônios por baixo da aparência de pessoas normais. Foi legal esse lance dele.. Muito mesmo…

O plano deles pra ir de encontro a Lilith, o Sam se mostrando um matador de demônios frio e impiedoso como John e Dean são. Ele enfiando a faca neles é bom demais de se ver. E volto a falar: aquela menininha que escolheram pra fazer a Lilith foi uma excelente escolha.. Sam sendo grosseiro com alguém, mesmo que esse alguém seja Ruby é no mínimo engraçado.. Justo Sammy que sempre é a gentileza e a sensatez em pessoa.. De repente a gente vê ele falar [i]”Tente me parar e eu te mato, vadia”[/i] ficamos pensando: é mesmo Sammy? É o mesmo Sam que tirou um cílio que estava grudado no rosto da Sarah em Provenance? Onde foi parar aquele doce Sammy?… Fico me perguntando isso.. Como a vida dá uma virada e a gente passa a ser outra pessoa por amor a alguém.. Por desespero em ajudar alguém que se ama.. E quando a gente pensa que Sam vai furar qualquer pessoa que possa se parecer com um demônio, ele reluta na frente de uma garotinha.. Uma garotinha que parece estar possuída por um demônio impiedoso que vai matar a ele e a Dean, mas ainda é um corpo de uma garotinha.. Sam afinal ainda não perdeu sua essência.. E “as visões” do Dean foi mais que providencial nessa hora..Outra coisa quero saber como Ruby saiu de lá.. E minha opinião sobre ela ainda não mudou: acredito que ela seja uma inimiga dos meninos e não uma aliada..

Então vem a constatação pelo Sam que eles não podem perder mais tempo, que ele tem que fazer alguma coisa. E ele num jeito mais que desesperado, pede ajuda a Ruby. Pede pra ela mostrar o que tem que fazer.. E eu acho que naquela hora ali, Ruby já era Lilith.. Mas voltando ao Sam, Jared deu um tom tão desesperado à voz dele, tão urgente em fazer algo que até eu me impressionei. Então Dean chega e dá mais uma de suas broncas nele.. Dean chega e não deixa que ele faça algo que eles combinaram antes: não se tornarem mártires..Quando ele manda Dean calar a boca só um segundo, eu senti tanta urgência naquela voz que meu peito se apertou mais do que estava. E quando ele finalmente fala: [i]”Não Dean! Eu não vou deixar vc ir pro inferno”[/i].. Dean se torna o general que John o ensinou a ser e grita: [i]Sim, vc vai[/i].. Ele grita isso com tanta convicção que Sam fica completamente sem ação.

Finalmente a despedida deles.. Finalmente Polly desaguou.. Polly se acabou de tanto chorar. Nem vi direito da primeira vez, só pensava que coisa mais arrasadora meu Deus!! Sam se segurando, sam não querendo acreditar naquilo e Dean sendo o “sensato” ali..Sendo o mais “calmo” possível.. Dean tentando se mostrar forte, não querendo deixar Sam se sentir culpado e nem responsável por nada. Mostrando ao Sam que tudo que ele, Dean, fez foi vontade e decisão dele.. Dizendo ao Sam pela última vez o que fazer, como agir e como encarar as coisas, ou seja, sendo o irmão mais velho que Sam idolatrava e seguia desde os 4 anos.. Dean fala: [i]” Continue lutando. E tome conta do meu carro[/i]( Sam aqui faz uma cara de “por favor meu Deus, não o tire de mim”, que eu quase tive um troço)[i]… Sam lembre-se do que o papai te ensinou, ok? Lembre-se do que EU te ensinei.”… [/i] E então Dean dá aquele sorriso triste e encorajador que John deu a ele em In My Time..E tragicamente o relógio toca.. Meia-noite… Fim do prazo ( e nesse tempo, eu chorando feito doida na frente do PC).. Dean constata que acabou e Sam se acaba em lágrimas, enquanto elas, as lágrimas, brilham nos olhos no Dean no meio de mais um sorriso triste.. Quando ele fala: “Hellhounds”, eu xinguei o Kripke: cacete cara, vc precisava me detonar desse jeito??PQP….

E então a grande cena final.. A revelação de que Lilith estava na Ruby…A amostra do que ela é capaz.. A crueldade de um demônio… A maldade estampada nos poros..Derramando.. Ela prendendo Sam na parede e esperando o momento pra acabar com Dean… O fato dela finalmente estar cara a cara com Sam Winchetser, e a frieza que ela abre as portas e entrega Dean pros seus bichinhos de estimação…

Gente eu juro pra vocês que não esperava esse tipo de morte.. Apesar de saber há uns 20 dias atrás que Dean iria morrer, que ele iria pro inferno, eu nunca imaginei que ele seria morto na frente do Sam.. Nunca imaginei que a morte dele fosse acontecer de forma tão horrorosa na frente do Sam. Nunca pensei que Sam fosse ver seu irmão ser estraçalhado daquele jeito sem poder fazer nada a não ser implorar pra aquela desgraçada…

E ver que aquela maldita se divertia com tudo aquilo, que ela saboreava o momento..

Foi cruel.. Foi muito cruel..

Os gritos do Sam, o desespero dele, os rosnados e latidos dos cães, Dean sendo dilacerado por eles, e sangue jorrando do corpo dele por tudo que é lugar. Me chocou.. Acabou comigo.. E então pensei: Sam não merecia passar por isso.. Nunca.. Ninguém merece…

E a maldita joga seu poder de destruição no nosso Sammy, e o que acontece? Nada.. Nadica de nada.. Nosso Sammy é muito mais poderoso que aquela vadia desgraçada pensou.. Ele a colocou pra correr, nem ela esperava tudo isso do Winchester caçula… Muito menos Sam.. Mas então ela viu o ódio estampado no olho dele e sabia do que ele era capaz.. Então como boa FDP que todo demônio é, deu no pé. Vazou.. Correu como um cão sarnento….

E então veio Sam.. Arrasado, dilacerado tb mas não fisicamente, ele foi chegando perto do corpo do irmão, e aquele choro do nosso Sammy foi a gota d´água pra qualquer lampejo racional que eu ainda pudesse ter…Foi aqui: naquele “[í]No.. Dean[/i]” que meu coração despedaçou de vez.. Foi aqui que eu pensei: o que será do nosso Sammy agora?

E pra derrubar ainda mais essa pobre pessoa aqui, aparece meu loirão naquele “nada” lá. Sozinho, acorrentado, machucado, abandonado, enganchado como um pedaço de carne num açougue, gritando por socorro, por ajuda.. Gritando pelo seu irmão.. E parece sina: a cada final de temporada um som fica ecoando na minha cabeça.. Na primeira foi o som de uma batida violenta, na segunda foi o grito do Dean qdo Sam morre, e agora na terceira fica o “No.. Dean” dito pelo Sam e o grito do Dean: Saammm, no meio do inferno..

Isso é pra me deixar maluca mesmo até setembro…

Pois bem galera, é isso.. Eu só tenho a dizer: mais uma season finale digna de Supernatural!!

Brilhante, bem elaborada, bem desenvolvida, bem executada..

E só me resta dizer: Até setembro, Winchester boys…

Bjos

Related posts

2 thoughts on “Review de No Rest For The Wicked – 3×16

  1. Oi!! Posso fazer uma sugestão para o vosso blog ficar ainda melhor?? pudiam usar letra mais clara nos vossos textos.é k essa cor n dá p ler mt bem 🙂

    Bjos e bom trabalho

  2. Oi Lili, claro, sugestões são mais que bem vindas, você não é a primeira a dizer sobre nossas letras rsrs, ela tá escura mesmo, e eu já vou providenciar a troca de cor…

    Obrigado, Abraço.

Leave a Comment