Videos de entrevistas de Jensen Ackles pra promover My Bloody Valentine

TRADUÇAO DO PRIMEIRO VIDEO FEITA PELA VICKI….

M:O que te fez se interessar por fazer My Bloody Valentine 3D?

J: O 3D.

M: O 3D! Essa é uma ótima resposta!

J: Claro! Eu faço um show chamado Supernatural, o que é fazer um filme de terror basicamente toda semana. Então ninguém pensaria que eu faria isso nos meus 3 meses de folga. Mas quando soube dos nomes envolvidos e que seria em 3D eu disse “Me manda o script que eu quero fazer”.

M: A sua carreira é toda baseada no sobrenatural! Desde sua mãe em Days of Our Lives, e você é o filho de Satã em “Adoradores do Diabo” e tem Supernatural e agora esse filme. Você é o “Rei do Grito” (Scream King)!

J: Bem, não sei se sou, mas definitivamente as coisas caminharam pra esse gênero. Não sei porquê, as coisas simplesmente caminharam pra isso.

(trailer)

J: Jaime (King) e Kerr (Smith)… bem, eu já trabalhei com Kerr antes e somos bons amigos, então foi fácil a coisa de brigar pela mesma garota. E Jaime veio e foi incrível como eu esperava que fosse. E não foi difícil em momento nenhum, ainda mais sob a direção de Patrick Lussier, que é um visionário e muito bom não só com os atores, mas a produção e todo mundo ali. Deixou tudo mais fluido.

M: Vamos falar de seu personagem, Tom Hanniger. Quem é ele?

J: Boa pergunta. (Risos) E acho que essa é a pergunta do filme. É uma coisa que eu mesmo não sabia, como ator, porque não deveríamos saber. Nós mesmos não deveríamos saber. Ele vem de família de operários, o pai sempre trabalhou na mina e acontece um acidente grave. Ele não consegue lidar com a pressão, torna-se um pária, foge da cidade. Volta 10 anos depois. O pai morre e ele está lidando com essa questão. Tenta ficar de fora da coisa toda, mas é tragado de novo, porque certos demônios o seguem.

(trailer)

M: Qual é o seu momento 3D favorito. Sr. Jensen (ai, que lindo!)?

J: Tenho que dizer que é quando Tom Atkins é morto. O Xerife Burke.

M: Não sei. Eu tapei os olhos nessa hora.

J: Um osso da face voando na sua direção é sempre legal.

M: Fale sobre o visual do assassino. Por que aquele visual? É tão icônico!

J: Ele recai sobre o vilão dos filmes antigos, que sempre usa uma máscara e traz uma arma enorme. É sempre assustador. Pense em Jason, de Sexta-feira 13, pense em Freddie Krueger, Halloween. Todos caras grandes portando algum tipo de arma. É de matar de medo.

(trailer)

J: É o filme perfeito para um encontro. Vá ver! O elemento 3D e tal. Não tem nada de 3D do tempo da vovó. É totalmente novo. Altíssima tecnologia. Vai te tirar o fôlego!

NO SEGUNDO VIDEO, VAI TRADUZIDO SÓ AS FALAS DO JENSEN… O RESTANTE VAI UM RESUMÃO MESMO… TB FOI FEITA PELA VICKI…

Rep: Você em My Bloody Valentine, Jared em Friday 13th…

J: Eu sei…

Rep: Você diria que os irmãos Winchester estão tomando conta do horror em Hollywood? J: É! Que mundo! Foi total coincidência! Nós pensamos nisso e rimos muito e tínhamos certeza de que os filmes seriam lançados no mesmo dia, mas algum poder superior pensou melhor e… Sei lá, cara. É uma daquelas coisas… Nós ficamos trancados 9 meses no ano e nem sempre sabemos sobre roteiros ou conversamos com diretores e se a gente consegue uma oportunidade, agarramos mesmo. E aconteceu de ambos serem filmes de terror. E quando conversei por telefone com o diretor, Patrick Lussier, fiquei muito entusiasmado e sabia que seria um grande projeto.

Patrick Lussier declara-se fã do filme original, que é um cult canadense. “É obrigatório. É como assistir a partidas de hóquei.” Acrescentou que foi ótimo revisitar o mito.

Jaime King diz que está muito feliz por ter participado e que achou importante fazer o filme por se tratar de um cult. Muitas pessoas com quem conversou, fãs de filmes de terror, mostraram-se fãs do original e consideram um dos melhores no gênero.

‘O processo de filmar em 3D é mais lento, por ser muito recente e montar o set é mais difícil e trabalhoso, mas o processo só tende a melhorar’, disse o ator Kerr Smith.

Jensen Ackles explica que “as tomadas em 3D são mais abertas, não há tantos closes, portanto as expressões têm de ser maiores, a linguagem corporal mais expressiva que em filmes ‘normais’, em que tudo fica mais apertado, contido.”

O ator Edi Gathegi completa: “Vc faz a sua cena e aí, se for o caso, faz a cena em que a ação explode na cara do espectador. As câmeras captam isso e fazem saltar da tela.”

Lussier ainda diz que câmeras de 3D são enormes. O maior desafio foi levá-las pro subsolo e ainda aprender essa nova linguagem.

‘É como voltar pra escola de cinema’, diz Kerr Smith.

Entre as partes mais interessantes, o comentário do compositor da trilha Michael Wandmacher “algo da trilha meio brega do original ficou por causa do clima, mas reiventamos”, do roteirista Todd Farmer “a ideia é você estar dentro do filme, como se o assassino pudesse estar do seu lado” e ainda do ator Derek Mears, que faz o papel do Espectador, que comenta coisas no cinema e faz o toque de celular (nota da Vicki: agora eu fiquei com vontade de ver mais que só pelo Jensen!).

“Nós fazemos jus ao ‘bloody’ do título, diz Lussier.

Jensen responde de novo que sua morte favorita é a do Xerife Burke (Tom Atkins) “Tudo o que Tom Atkins faz é ótimo, mas a morte dele. Eu acho que eu ri e aplaudi umas quatro vezes de tão bom que foi”.

Tom Atkins adora filmes de terror e por isso sempre os faz, especialmente porque adorava os filmes de Vincent Price. “Eu o conheci e ele elogiou meu trabalho. Foi maravilhoso.”

Quase no final, o repórter pergunta “Quem venceria a batalha entre Robocop e Tom Atkins?” Jensen diz que é parcial para o lado de Robocop, porque o filme foi rodado em Dallas, sua terra natal. “Mas tenho que dizer que seria Tom”.

Pronto…aí está…

Créditos: dean_sam

Related posts

2 thoughts on “Videos de entrevistas de Jensen Ackles pra promover My Bloody Valentine

  1. Eu mesma começo: como ele tava lindo na premiere, hein? Pronto.

  2. danih ackles

    vdd perfeito *_*

Leave a Comment