Impressões do episódio 4.13 – After School Special, by Polly

Photobucket

Decididamente Eric Kripke tomou o rumo da desconstrução dos personagens que ele criou. Tanto Dean quanto Sam.. Mas por incrível que possa parecer, eu estou amando isso (surpresa até pra mim hehehe..mas eu espero que isso tenha uma explicação ).. Está sendo uma desconstrução até certo ponto previsível, e muito mas muito coerente.. Não sei se aceitável pra todos, mas é coerente. Quer lugar melhor pra construir e desconstruir algo ou alguém que a escola? É na escola que temos nosso primeiro contato fora do universo familiar. É na escola que testamos nossa tolerância, nossos limites, nossa paciência e nossa determinação. É na escola que temos alicerce pra nossa formação enquanto cidadãos, e nela que formamos grande parte do nosso caráter e decidimos o que queremos ser, e o mais importante, é no grupo escolar que tentamos nos impor como pessoas. É na escola que estamos constantemente evoluindo. Então nada melhor que o universo escolar pra mostrar um pouco a vida que essas duas pessoas tão especiais tiveram enquanto vivenciaram essas escolhas e formações. É lá que passamos anos ótimos ou anos assustadoramente cruéis..E pelo que todo mundo viu, nossos meninos não tiveram nada muito fácil, nada muito previsível. Eles tiveram enormes dificuldades, enormes provações e dificílimas escolhas e decisões. Ponto pra quem optou por seguir essa linha.. Claro que é sob a batuta do mestre!

Quando eu me refiro a desconstrução de personagens, me refiro aquilo tudo que estamos vendo desde a primeira temporada. Porque volto a falar pra vcs, me recuso a ver Supernatural como episódios isolados, em que o foco é somente a caça ao sobrenatural. Se muita gente vê assim, paciência, eu não vejo. Supernatural vem sendo construído, vem sendo costurado desde Pilot. Uma frase que foi dita em Pilot pode ser (e foi) explicada num episódio agora da quarta temporada. Então, eu sinceramente respeito quem não gostou do episódio, mas eu, por ver a série desse modo, ainda não consegui chegar e dizer: esse episódio pode ser tirado da série que não faz falta. Até Tall Tales (que pra mim é a merda maior de episódio) tem seu valor. E quem acompanha as entrevistas de Eric Kripke sabe que ele vem falando isso desde que acabou a terceira temporada: eu vou investir nos personagens, eu vou revirar esses personagens pelo avesso, eu vou usar o que tenho de melhor neles: seu carisma. E ele realmente não mentiu.. Ele está revirando, ele está mexendo em tudo. Está fazendo um Dean diferente daquele Dean que invadiu o apartamento de Sam em Stanford, mas ao mesmo tempo mantendo as principais características do Dean. E está fazendo um Sam muito diferente daquele rapaz universitário, mas também ao mesmo tempo mantendo o velho Sammy por baixo de tanta coisa.. Isso é algo brilhante.. Brilhante da parte de quem escreve (roteiristas), de quem tem a idéia (Eric), de quem defende os personagens (Jensen, Jared e o casting) e de quem consegue mostrar isso em cena (a direção e a produção). Portanto parabéns a todos! Essa desconstrução dos personagens é uma faca de dois gumes, eu sei, mas se Eric conseguir manter o nível, manter o quem vem sendo feito até agora, eu acho que todos nós fãs só temos a ganhar. Vamos continuar torcendo pra isso.

Photobucket

Vou fazer um parágrafo aqui e falar dois atores que fizeram Dean e Sam mais jovem. O ator que fez o Dean se chama Brock Kelly e eu tenho que confessar que gostei do garoto. Claro que ninguém nunca vai chegar perto de ser a unha encravada do Jensen no quesito “aparência física”, mas o garoto mandou bem no papel de Dean jovem. Brock estudou Jensen, estudou Dean e fez tudo muito bem. Expressões faciais, jeito de andar, jeito de falar.. Especialmente quando ele grita “LUNGS OUT” na arquibancada com Sam e depois Jensen grita a mesma coisa encostado Impala com Sam, ficou idêntico. O garoto ficou mesmo muito bom no papel de Dean jovem.. Parabéns pro garoto.. Ele mostrou ser um profissional que sabe o que faz. Ganhou pontos.. Podem ter certeza.. E acho também que Jensen deve ter gostado disso.. Afinal o garoto enfrentou com coragem e talento o fandom mais que “possessivo” de Supernatural, sem falar nas “fãs” malucas de Jensen que aparecem por aí!!!Quanto ao mini-Sam, ele simplesmente continua arrasando.. Ô menininho lindo da peste!! Seu nome é Colin Ford…Dá a impressão que era Jared/Sam mesmo!! Os olhares, as expressões, o modo de falar.. Ele é fofo.. Ele é um ótimo ator mirim.. Caiu como uma luva como Sam..Quando ele fala com jeito resignado mas sofrido, quando ele se contém pra não mostrar o que realmente sabe, quando ele se mostra com uma pontinha de esperança, quando se mostra irritado com Dean. Parece ser o Sam que a gente vê, adulto já, falando… Foi um show do garoto do início ao fim.. Parabéns aos dois!!!

Photobucket

Foi muito legal também o jeito de dirigir esse episódio… Intercalando cenas atuais e cenas do passado num contexto interligado.. Mostrando o Dean atual com aquele Dean de antes, já metido a bad boy, engraçadinho, pegador, não quer saber de estudar, e protetor com Sam desde sempre. Mostrou Sam desde sempre um garoto introspectivo, extremamente inteligente, triste, inconformado com as constantes mudanças em sua vida e já com uma propensão em fazer sempre o bem, sempre a ajudar as pessoas (confirma mais uma vez que eu acho que Sam não é demônio, ou vá se tornar um porcaria nenhuma ).. Foi mesmo muito bom.

Photobucket

Photobucket

Quanto as fugas eu acho que nunca um episódio de Supernatural mostrou isso tão bem. Fugas..Dos dois.. Tanto de Dean quanto de Sam.. Ambos fugindo de algo que os assombra, que os persegue.. Sam fugindo da vida que ele odeia, e Dean fugindo de seu medo de ser abandonado e da raiva por não poder se mostrar. Foi um episódio brilhante nesse sentido. Vou usar aqui uma colocação de minha amigona Vicki, as fugas foram bem explicadas nesse sentido, “Sam de ‘cérebro’ que nega o treino do pai pra ser aceito e Dean que se encouraça por não ser aceito, porque não podem falar o que realmente são”.. Isso foi realmente maravilhoso.. Quando se olha Supernatural sob uma perspectiva mais intimista, mais densa e intensa, só temos a ganhar com que lemos nas entrelinhas. E eu volto a afimar: Supernatural cada dia mais está mais intenso, mais profundo, mais psicológico, mais filosófico..Nesse episódio poderíamos passar horas analisando psicologicamente as atitudes de Dean e Sam sem contar a de outros personagens (e olha que nem sou psicóloga e nem nada, só gosto do assunto e dou uns pitacos as vezes rsrs). E baseado nisso que falei vou tentar expor algo nesse sentido. No sentido de Dean e Sam serem mostrados como criaturas cheia de conflitos, problemas e fugas psicológicas desde que se entendiam por gente.. rsrs..Os seres humanos tendem a adaptar ao mundo e aos seus semelhantes com máximo de eficácia e felicidade pra que possa ter um comportamento dito “normal” Vou colocar aqui algo que li e achei muito, mas muito coerente com que o episódio quis mostrar. “A literatura popular sugere que a sabedoria consiste na adaptação à natureza e ao ambiente, num esforço em direção à harmonia, na luta pelo autocontrole.

Mas as tentativas para satisfazer nossas necessidades e nossas metas costumam encontrar obstáculos – tanto por parte das outras pessoas quanto das circunstâncias.


Photobucket

Photobucket

Dessa forma, todo indivíduo deve esforçar-se para modificar e adaptar não apenas seu comportamento, mas também o próprio meio onde vive (e isto inclui as outras pessoas) a fim de sobreviver e progredir na vida. Esta transação permanente existente entre o indivíduo e o meio total, bem como a eficiência, a flexibilidade e a inteligência com que isto é feito, determinam a felicidade. De fato, cada pessoa cria seu conjunto próprio de estratégias para enfrentar a vida.

Algumas estratégias de ajustamento são prescritas pela sociedade. Outras têm uma base biológica profunda. Alguns dos tipos de ajustamento:

1. Frente a alguma ameaça, temos a reação de “retirada estratégica ou fuga”. Não consiste, necessariamente, numa retirada física. Pode assumir a forma de uma fuga psicológica, como ocorre com o comportamento de evitar a inibição e o isolamento emocional ou “desligamento”.

2. Ainda frente a alguma ameaça, podemos reagir com “submissão”. Os gatos costumam imobilizar-se ao avistarem um cachorro grande. Essa atitude pode salvá-los de uma luta desigual. Da mesma forma, podemos adotar uma atitude submissa em relação aos outros. Na realidade, essa estratégia defensiva quer dizer: “Eu não constituo uma ameaça. Sou muito fraco para merecer essa agressão.” No entanto, as pessoas que adotam esta atitude de rebaixamento são as primeiras a perceber que os outros, apesar disso, acabam por tirar vantagem dela.
Há ocasiões em que a submissão é a melhor medida, mas há outras em que a estratégia afirmativa é a reação mais adequada diante de um indivíduo excessivamente dominador. Em suma, é necessário um equilíbrio flexível entre a afirmação e a submissão ao se enfrentar as vicissitudes da existência.

3. Outro tipo de adaptação é o “ataque” e a agressão, métodos básicos para superarmos os obstáculos que impedem a satisfação dos nossos desejos. A importância da agressão como parte do repertório humano transparece claramente na predominância da violência. Nem sempre, contudo, a agressão constitui uma reação inadequada ou mórbida. Em certas situações (como na defesa das liberdades vitais) é uma atitude construtiva. Há indivíduos, porém, cronicamente agressivos que se julgam indesejados e desprezados e não conhecem outro meio de descarregar a desconfiança e o ressentimento senão através de um comportamento destrutivo.
Todos os seres humanos com idade suficiente para adquirir uma auto-imagem sentem a necessidade de se ver sob uma forma favorável. Essa auto-imagem está relacionada com a maneira como os outros reagem a eles. Desde muito cedo, os indivíduos descobrem e utilizam reações interpessoais complexas destinadas a proteger e a melhorar a auto-imagem que se desenvolve no relacionamento com os outros. Como o ego é o aspecto central integrador da pessoa, qualquer ameaça a seu valor constitui uma ameaça vital ao próprio ser do indivíduo. Estas “estratégias do ego” como são chamadas, reduzem as ansiedades e os insucessos. Além disso, protegem a integridade do ego ao aumentar o sentimento do valor pessoal.”
.. Então eu acho que After School Special, define bem o que foi mostrado nessa palavras.. Mas como isso aqui não é consultório virtual de psicologia, eu vou pras partes do episódio que me chamaram a atenção..

http://img266.imageshack.us/img266/502/001tf77fws8.jpg

Em primeiro lugar a recapitulação.. Uau..Que saudade da primeira temporada!! Que saudade e ao mesmo tempo que orgulho!!! Que vontade de ter Jeffrey Dean Morgan de volta!! Em seguida vemos uma atitude puramente adolescente cruel.. A humilhação a que só garotos sabem fazer as vezes.. Uma garota humilhada, que humilha a outra e em seguida sofre as conseqüências.. Tudo bem que não precisa afogar ninguém porque te chamam de “porca gorda e feia”, mas aqui a garota estava possuída e era um gancho pros Winchester irem até essa escola. >>modo tiete on.. PQP que coisa linda o Sam de branco!! Ele fica sexy!! Muito sexy!! Desde Houses of the Holy, quando ele apareceu de branco pela primeira vez.. Vai ser gato assim, viu!![modo tiete off] … Sam fuçou e convenceu Dean a ir nesse caso, até porque era um caso interessante, poderiam ser demônios e era numa escola que eles estudaram. E aqui mais uma vez entra uma ótima frase do Dean. ” Ok, qual vai ser o nosso disfarce? FBI, Segurança Nacional?Estudantes de intercâmbio suecos?”.. kkkkkkkk..

Photobucket

Ai que emoção ver o Impala ao som do velho e bom rock’n roll…Tudo bem que não era Back in Black (que aliás está demorando hein?? ), mas Foreigner – ‘Long, long way from home’, também foi show de bola!! Dean sendo totalmente Dean com Sam, como um pai e não irmão mais velho. E Sam se mostrando profundamente triste e aborrecido por ter que estar em outra escola. Vimos uma parte de como foi a vida escolar deles, Sam o tímido, retraído, e introspectivo. E Dean o engraçadinho, metido, sem modos , que não gosta de estudar e só quer saber de paquerar garotas não estando nem aí pro sentimentos delas. Sam fica conhecendo de imediato o nerd Barry e o valentão Dirk. Duas pessoas que iriam definir as bases dessa caçada deles.. Dirk vivia implicando com Barry e Sam toma suas dores de imediato, mostrando a nós que o velho e bom Sammy já era lindo desde pequenino!! Sam de imediato encarou Dirk, pra proteger um “frágil” garoto, mesmo sabendo que aquilo não ia dar em boa coisa.. E não deu mesmo.

Photobucket

Aunnnnnnnnn… Agora eu vou ser totalmente tiete.. Daquelas bem ridículas mesmo… kkkkkk…>> PQP Jensen!! PQP Dean!!! Caramba!! Vc deveria usar mais shorts!!! SVI !!!!!!!!!!!!!!!!!! (MFDGE eu amei isso kkkkkkkkkkkkk)…. Shortinho demoníaco… Com a cor do pecado.. Aquelas pernas douradas, na medida… E com aquela voz de bravo???????????? Putz… Eu ploft!! Ploft!! Ploft!! Capotei.. Me deu falta de ar… huahauahauahaua…. Que visão do paraíso.. OMFG!!! Tem razão dos anjos o quererem, pq aquilo lá no inferno ia ser covardia!!! Eu queria ser aquele apito.. Mil vezes eu queria!!!! E o que dizer da faixa (esqueci o nome certo huahauahaua) vermelha na cabeça??? Aunnnnnnnnn..momento tiete boboca off


Photobucket

Então eles continuam seu disfarce, com Sam faxineiro e Dean de professor de educação física substituto (será pq?? Hehehehehe) E ele é totalmente Dean nessa jogada.. kkkk… o nome de Dean como professor é uma homenagem ao David Lee Roth, vocalista da banda Van Halen até 1985. Fazem o que sempre estão acostumados.. Investigar pra poder resolver melhor a situação.. E Dean de olho na idade das lideres de torcida!! O cara depois que foi “desvirginado” em Monster Movie está de novo na velha e boa forma!! Rsrs.. Sam como sempre fica exasperado com essa “disposição” do irmão.. Velho e bom Sammy!! Descobrem que Barry se suicidou (a cara do Dean é ótima quando Sam conta que conhecia Barry) e que ele provavelmente deve ser o espírito vingativo que possuía as pessoas.

É impressionante como a gente se esquece de como as crianças e adolescentes podem ser cruéis!! Nossa.. E Sam já mostra que ele é mais que tudo um defensor dos fracos e oprimidos, até porque ele também é um “esquisito” Mas ele tem raiva disso, porque sabe que só é “esquisito” por causa da vida que ele leva. Ele poderia ser brilhante, ele quer ser brilhante e deixar pra trás tudo aquilo, mas não sabe como. Esse foi o grande lance do episódio, mostrar um Sam tão conflituoso desde sempre.. Que essa luta interna dele, não vem de agora só porque Dean morreu, mas vem de tempos.. Vem desde que ele era criança.. Essa eterna ânsia em ser diferente daquilo que se mostra a sua frente. Esse eterno conflito de não se achar.. Essa eterna busca dele pra descobrir quem ele realmente é e gosta de ser… Esse é o grande lance de ser Sam Winchester. Ele não sabe, não consegue ser simplesmente Sam. Sempre existe algo pra ser enfiado goela abaixo.. Volto a dizer: Não é fácil ser Sam Winchester..

Photobucket

E segue o episódio, quando vemos Dean se atracando dentro do armário do zelador. Mostrando um Dean envolvido com uma “garota de família”, e que exige e cobra dele comportamentos ditos “normais”.. Exige de Dean compromisso, coisa que não exige no vocabulário dele. E aqui já me deu uma dor no coração quando ele tenta ser despojado e tenta dizer o quanto é legal ser dono do próprio nariz desde cedo, mas na verdade quando Amanda pergunta a ele se não sente falta do pai. Isso arranha a couraça de Dean, porque ele sente, sente muito a falta não só do pai, mas de sua família. Muito bacana essa cena. Temos então o lance do carro.. A conversa dos dois.. Sam se sentindo desconfortável por ter acabado de queimar ossos de uma pessoa que foi um amigo seu. Pudemos ver aqui nosso velho Sammy.. É por esse Sam que Dean morreu. É por esse Sam aqui do carro que Dean vai peitar demônios e anjos. É esse Sam que está escondido por baixo da carapuça de ódio, vingança e corrupção que Lilith e Ruby (isso mesmo, pq essa vagabunda ainda não me convenceu do contrário)querem fazer florescer mais que tudo E eu acredito nesse Sam bondoso, esperançoso, generoso e humano. Humano no sentido mais amplo da palavra. Assim como acredito nesse Sam, também acredito no Dean valente, guerreiro, corajoso e com uma ética própria que não está nem aí pro que querem os anjos ou demônios, ele só sabe que vai fazer o que acha certo, e ponto final.

Photobucket

Vemos mais uma vez o comportamento típico de Dean e Sam.. Dean o protetor, o mandão. E Sam o pacificador, o questionador, o menino que tenta mostrar ao irmão que quer ser diferente de tudo aquilo, que ele está incomodado, que ele está de saco cheio e parece que ninguém o escuta. E entra em cena o professor. A única pessoa que parou e ouviu o que Sam queria e desejava.. E meu coração apertou quando aquele menino respondeu ao professor que não queria de forma nenhuma seguir com o “family business”, o olhar triste de Sam me desarmou, e foi aqui que minha vontade de dar uns petelecos no Sam, sumiu em 70% (significa que ainda não passou totalmente ). E o professor incentiva a Sam a seguir com sua vida, a ser o que ele quer ser. Sam levou isso a sério, foi importante pra ele. Uma pena que um bando de demônios e John Winchester não pensassem o mesmo!!! E seria mais que natural Sam querer falar com o professor novamente.. Sam querer agradecer e ver aquele que o ouviu pela primeira vez. E aqui entra uma coisa tipicamente Dean tb.. rsrs.. Nosso Winchester mais velho pode não ter a intelectualidade de Sam, mas tem uma bagagem cinematográfica de dar inveja!! Sociedade dos Poetas Mortos?? Quem diria que Dean gostasse desse tipo de filme!! Hehe.. Isso prova que o “bad boy” não é tão bad assim.. (aliás eu já sabia disso há tempos) E quando Sam volta na escola, percebe que o espírito furioso ainda estava por lá.. Eles se enganaram.. Não era Barry afinal.. Adorei Sam enfiar sal na boca da garota!!! Uau..hehe

Photobucket

Então eles descobrem de verdade o que aconteceu. Que na verdade o espírito era Dirk e não Barry.. Sam se lembra que surrou Dirk, o humilhou, o apelidou de “Dirk, the jerk”.. E um fato aqui me chamou a atenção. Sam só resolveu descer a porrada no “bully” quando ele o chamou de “freak”. Realmente ser “anormal” é algo que deixa Sam fora dos trilhos, ele perde as estribeiras mesmo. Mas que foi ótimo ver aquele molequinho mostrando tudo que aprendeu com o pai e o irmão mais velho, isso foi!! Isso também foi o estopim pra Dirk começar seu processo de vingança.. Na verdade mostrou que Dirk só era um garoto que tinha problemas, ninguém lembrou de perguntar isso a ele. Ninguém lembrou de conversar com ele. E o próprio Dirk não soube o que fazer, era uma criança, ficou perdido. E resolveu partir pro ataque e chamar a atenção pra si. A surra do Sam nele só catalizou seus problemas e mostrou uma faceta perturbada de Dirk. Mas como sempre elevou a níveis exorbitantes a culpa em nosso Winchester caçula. Mais uma vez.. Daqui a pouco Sam esquece e desaprende de sentir outras coisas, ele só sentirá culpa. Triste e assustador isso.. Me dá medo.. Muito medo pelo futuro do Sam.

Photobucket

Na conversa com pai de Dirk descobrem o que querem saber.. O que restou de Dirk. Dean e sua sutileza, perguntando se o garoto foi queimado inteiro.. Eu ri.. Sinto muito mas eu ri.. Dean definitivamente não conhece a palavra “tato”. E eu amei a singela homenagem a Kim Manners na cena do ônibus.. O fato de Dean ter dito:”Not really. I’m like “21 jump street.”.. Numa clara referência ao seriado qye Kim dirigiu de maneira brilhante tb. Nessa época Kim já estava doente e tenho certeza que essa fala foi pra ele. E eu me emocionei. E Dean depois dessa solta a ótima: “The bus driver sells pot.”.. kkkkkkkkkkkkk.. Dean homenageou Kim. Dean.. O cara que Kim amava dirigir cenas dele. Kim que era tão divertido, que adorava brincadeiras e piadas. Foi mesmo muito bom ver isso no episódio.

Photobucket

E como sempre vem uma conversa profunda e reveladora.. Meu coração se apertou pela angústia que Sam sentia. Pela dor que ele carregava dentro de si. E eu me arrepiei quando ele disse: ” Eu não sou do mal, Dirk. Não sou. E nem você era. Confie em mim.Eu conheço o mal de verdade. Nós éramos medrosos e miseráveis. E descontávamos um no outro. E em todos os outros. Isso é a escola. Mas a gente suporta aquilo e depois as coisas melhoram. Só sinto muito que não tenha tido a chance de ver isso.” .. Uau!! Ponto pro Jared.. Ele foi muito bem aqui. Parecia que eu ouvia um eco do Sam dizendo essas coisas pra convencer a si mesmo de tudo que ele estava dizendo.. Adorei essa cena.. Uma das melhores do episódio pra mim.. Adorei mesmo Então eles partem pra resolver o caso do jeito Winchester: um levando porrada e o outro salvando a pátria. E conseguem mandar Dirk pro descanso eterno. Não sem mais uma pérola do Dean ao ver o Sam numa posição constrangedora. ” Cara! Ele está te dando uma ‘vaqueira’! “ kkkkk..

Photobucket

Outro momento memorável do episódio.. A lição de moral que Amanda deu no Dean.. Ele foi pego com a boca na botija, no flagra. Tentou se esquivar, dar uma de João sem braço, mas Amanda já tinha penetrado na couraça dele. Amanda conseguiu o que muitos não vêem: que no fundo Dean é uma pessoa carente, solitária, revestido na forma de bad boy autosuficiente mas que na verdade só quer ser aceito e respeitado. Que ele na verdade é um frustrado por não poder se mostrar como é de verdade. O que faz com que ele se apresente como um cara que não se importa com nada, mas na verdade ele se importa e muito E as pessoas só o julgam pelo que vêem de fora e não pelo que ele é. Isso deixa Dean magoado e com raiva. E ele desconta nas pessoas na forma de ironia, sarcasmo e desapego. Pura fachada.. Esse é nosso Dean Winchester.. E como Vicki disse pra mim, eu acho que a partir daqui Dean decidiu ser diferente com as mulheres. Por causa do que Amanda lhe mostrou. E eles mais uma vez vão embora, seguem seu rumo, não sem antes terem aprendido uma bela lição.

Photobucket

E a última cena do episódio é outra bela mensagem. Uma mensagem dizendo que você nem sempre consegue aquilo que quer, por mais que tenha tido a oportunidade de encontrar pessoas importantes que o ajudaram a decidir. Muitas vezes suas decisões não depende só de você mesmo. Muitas vezes suas decisões implicam em aceitar o que a vida lhe reserva, o que na maioria das vezes não o deixa feliz. E você tem que buscar uma melhor maneira de conviver com isso se não quiser enlouquecer. E Sam depois de tanto tempo, depois de tanta coisa, não conseguiu ainda o que quer.>>>. “Ser dono do seu destino e acima de tudo SER FELIZ!”.. Poor sammy!!

Um abraço e até o próximo!!

Related posts

9 thoughts on “Impressões do episódio 4.13 – After School Special, by Polly

  1. Polly, desculpa, mais não cosegui postar seus modos “tietes” como das outras vezes, em preto pra selecionar, maldito Blogger ¬¬

    (Agora todo mundo vai ler)

    lol

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk 😛

  2. danih ackles

    plis posta essas fotos ai do after school special essas q tao ai nao da pra salvar =/ por favor se nao for pedir muito vlw =D

  3. li ateh a metade! show esse review Soh uma coisa: pode retirar 1.13 ROUTE 666 – season pra pagar o subprime de alguém ;p

  4. Anonymous

    Ah meu eu ainda não vi esse episodio =/ Mas dane-se eu não vou ficar esperando passar na Warner Channel eu vou baixar *-*
    Ah meu pelo o que voce falou , e pelas fotos esse episodio parece ser mega bom (:
    E assim como voce vou dar uma de tiete ‘JESUUUUS ACENDE A LUZ PRA EU VER MELHOR AS PERNAS DO JENSEN/DEAN MELHOR U_U’ – Rs.
    ah meeu ele tá super cut de Prof de Fisica quem dera ter um desse na minha escola,ia ser a melhor aluna dele sem duvidas – PAREI .
    Eos brotinhos que fazem o Dean eo Sam quando adolescentes são super bonitinhos *-*
    Ah eu tô loca pra ver esse episódio , sério meeeu to super anciosa :DD

  5. O que dizer, você descreveu o episodio como ninguem, eu particularmente amei esse episodio. E tenho que confessar que na ultima cena em que o Sam vai agradecer ao professor eu chorei, fiquei muito emocionada.Tenho que ressaltar a magnifica atuação do Jared, é impressionante como ele conseguiu expressar tudo com o olhar. São por essas e outras que amo o Jensen e o Jared, somente grandes atores conseguem essa proeza “falar com o olhos”. Polly to mega ansiosa pela suas impressoes do episodio Sex and Violence, que pra mim foi um marco, e que até agora estou meio que chocada, emocionada,não sei ainda qual o meu verdadeiro sentimento após ter assistido esse episodio. Mais uma vez parabens.

  6. tbm gostei do episodio e concordo com tudo que a polly disse tbm vejo o seriado como um todo.
    gostei da sua colocaçao…
    “É por esse Sam que Dean morreu. É por esse Sam aqui do carro que Dean vai peitar demônios e anjos…”
    acho que isso vai se aplicar muito bem em Sex and Violence,estou anciosa para ler seu comentario,tbm estou chocada ate agora

  7. cata

    mesmo que eu n tivesse gostado do epi depois de ler a sua rewiw passavaa gostar he he parabéns

  8. Polly você consegue encontrar as palavras dos meus sentimentos em relação a série, pois muitos estão reclamando deste 4 ultimos episódios os colocando como encher linguiça, o que não é verdade pois todos tem importância para a série e para o entendimentos de muitas ações passadas com certeza futuras, olhando a série toda desde a primeira, que revejo no SBT, no domingo e as vezes na quarta(isso é loucura) e a segunda no box, essa construção e desconstrução esta bem evidente, talvez falte isso aos fãs que não gostaram dos ultimos episódios rever novamente a série. Esta série é completa, amor, amizade, odio, incertezas, perfeita e suas impressões tambem. Valeu!!

  9. Obrigada a todos vocês por lerem meus devaneios! rsrs

    Eu escrevo exatemente o que sinto vendo a série.. Sei que sou muitas vezes exageradamente apaixonada, mas Supernatural tem esse poder sobre mim..

    E cada vez que vcs deixam um comentário sobre o que acham das minhas impressões acerca do seriado, eu me motivo mais a escrever..

    Gosto de compartilhar opiniões sobre o seriado, mesmo que elas sejam diferentes das minhas..

    Adoro conversar sobre os Winchesters..

    ABRAÇOS E MAIS UMA VEZ OBRIGADA A TODOS!!

Leave a Comment