[Análise Hunter] Paper Moon by Su Candido

Depois da tempestade vem a bonança…

E a bonança para os irmãos Winchesters significa caçar lobisomens. Se pensarmos na alternativa, essa é a melhor opção para eles!

Logo no começo do episódio vemos Sam e Dean tomando uma breja a beira de um lago, sentados ao lado de uma placa de proibido caçar (bela sacada) e tendo finalmente merecidas férias. Como disse Dean, “tempo pra nós”. Dean começa zoando Sam por este ter machucado seu ombro depois de tudo o que ele passou na vida, ótimo paralelo com a realidade, já que Jared deslocou o ombro durante uma brincadeira com Osric. E falando em paralelos, esse episódio foi todo montando através deles.

Depois de notar que marasmo e inercia não são sinônimo de relaxamento, Dean pede para Sam procurar um trabalho. E é aí que começam as nuances do episódio, onde notamos o tom que o plot da temporada provavelmente terá daqui pra frente. Sam deixou claro que acha que Dean ainda não está 100% para voltar ao trabalho, e Dean também não tem certeza, tanto que prometeu parar se Sam pedir a ele. Será que Dean é 100% o Dean que conhecemos?

Decisão tomada, eles saem em busca de mais uma caçada, bem ao estilo Old School Supernatural. Tive a sensação de estar assistindo a um episódio da 2ª temporada, e isso me animou, me deu uma sensação de paz. Talvez porque eu precisasse deste episódio tanto quanto os meninos precisavam colocar o pé no freio e respirar. Esse foi o típico episódio do monstro da semana que vem para dar um respiro, um pouco de folego e explicações que provavelmente não serão adereçadas em episódios futuros, de mais ação. É o famoso filler com sentimento, que divide opiniões, há quem goste, há quem odeie. Eu gosto deles, mostra que a série precisa daquele capítulo mais leve.

E leve em Supernatural é quando uma lobisomem se vê em uma situação à la Winchester ao ver que sua irmã se transformou em um monstro. Sam desalmado e Dean demônio são os paralelos aqui. E ela foi a responsável por sua irmã ter se tornado esse monstro, da mesma forma que os irmãos se sentem responsáveis um pelo outro.

“Ela é família, vale a pena levar uma bala por ela”. Os irmãos se entreolharam e se identificaram. É como se através de Kate ouvíssemos os pensamentos e sentimentos dos meninos, porque convenhamos conversar nunca foi o forte deles.

Vemos que os irmãos estão aos poucos voltando a ser irmãos, e isso me agrada muito. Porque apesar de Demon Dean ter durado apenas 3 episódios, desde o meio da 9ª temporada os irmãos estavam separados. O clima entre eles estava pesado e leva tempo para curar esse tipo de ferida. Talvez o fato disso ter sido uma das coisas que me incomodaram na 9ª temporada, os irmãos muito tempo de mimimi um com o outro, tenha feito com que esse episódio me trouxesse alívio. Ufa, os irmãos estão tirando uma com a cara do outro, voltando a ser irmãos, do jeito que Supernatural deve ser, na minha concepção. Talvez eu seja piegas!

A primeira cena deles no carro, tentando conversar me fez pensar em Bobby.  Como ele faz falta na vida deles, um amigo, um pai para ajudar a emendar as coisas, colocar os pingos nos “is”. E isso é um lugar comum em Supernatural, os irmãos sentem, mas não expressam seus sentimentos. Também, depois de tudo o que passaram, é compreensível. Ainda assim eles foram capazes de expor um pouco o que sentiam.

Quando Sam fala pra Dean que carregou o corpo deste até o quarto, me lembrei da 2ª temporada. Imaginei Dean carregando o corpo de Sam depois deste ter sido morto. Agora vemos os irmãos em situações reversas,  até na cena da luta deles com os lobisomens, vemos que mesmo com a asa quebrada, é Sam quem mata os dois e salva Dean, e geralmente o mais velho é o salvador da pátria.

Sam é quem viu seu irmão sob efeito de algo sobrenatural e teve que lidar com isso e não desistir de salva-lo, assim como Kate lutou até o fim para salvar sua irmã. Dean permitiu que um anjo entrasse no corpo do irmão moribundo porque não pôde suportar a perda dele, assim como Kate fez com a irmã em seu leito de morte. As irmãs compartilhavam de pulseiras, jóia que representava o amor fraternal, assim como os irmãos tinham (?) o amuleto de Dean, carinhosamente chamado de Samulet.

A história de Kate é um espelho da história dos irmãos. Só que no final de tudo, ela teve que matar a irmã para salva-la. Será que Sam terá que matar Dean? Ou vice e versa, eventualmente? O irmão que mata o outro para salva-lo… Caim matou Abel por amor ao irmão. Dean ainda tem a marca de Caim e provavelmente os efeitos dela estão apenas adormecidos. Dean sabe e teme, porque ele não quer ser cruel e monstruoso como foi durante seu tempo como demônio. Sam também teme, porque não quer perder o irmão.

Dean disse que cansou de errar, que agora quer fazer a coisa certa. Essa frase caracteriza os irmãos. Errando tentando acertar, errando por amor. Kate matou a irmã, mesmo sendo doloroso, ela tomou a decisão certa. É aí que a história se difere. Será que se for preciso, os irmãos terão coragem de fazer o que é certo, mesmo que isso signifique perder o outro?

E tenho a sensação de que Dean ficará na defensiva agora. A marca está lá, viva só que adormecida. Tenho a sensação de que os autores farão com que quase nos esqueçamos que ela está lá e quando ela voltar a tona, será com força total. Não digo que Dean volte a ser um demônio, mas provavelmente ele não consiga segurar a vontade de matar, assim como aconteceu na 9ª temporada. Neste episódio deu quase para ouvir os pensamentos dos irmãos. E senti que receio é o que eles sentem. Dean mais do que Sam, por que a vergonha de seus atos, como ele mesmo disse, o acometem, já Sam está mais com a politica do viver um dia de cada vez e aproveitar o máximo o que podem ser bons momentos.

E eu disse lá no começo que depois da tempestade vinha a bonança… Nuances, queridos hunters, nuances.

Carry on!

Related posts

20 thoughts on “[Análise Hunter] Paper Moon by Su Candido

  1. andre

    tem uma parte do epi 4 q da para ver em uma fraçao de segundo q o dean ainda tem olhos negros

    1. Márcia

      Não vi olhos negros, mas o bebê ainda está muito sujo, se o Dean fosse o mesmo já teria lavado o bebê.

    2. Ana celia

      André tambem vi esse olhar negro e achei que fosse um erro de gravação.

  2. cris

    tambem gostei bastante desse episodio nostalgico em sua forma…
    mas depois da bonança, a tempestade volta com mais força, e é claro que eles vão meter os pés pelas mãos pra salvarem um ao outro, afinal essa é a alma da série.
    eu ainda acho que o dean vai surtar geral, dando um perrengue no sammy, antes de rolar o tão esperado abraço
    enfim, carry on…
    ps: mal começou, e ja tem hellatus. QUE SACO!

  3. Wesley Paiva

    episodio bem nostálgico msmo, e tambem tenho quase certeza q o Dean vai voltar matando geral, foi mto facil essa “cura” aí. e acho mto interessante esse negocio de trazer personagens “antigos” pra historia novamente, mostrando q Sobrenatural não esquece ninguem.

  4. Euri

    Gostei muito do episódio, apesar de achar tudo muito melancólico. Os garotos ainda estão constrangidos sobre tudo o que aconteceu, mas totalmente dispostos a conversar e chegar em um entendimento. Eu só sinto falta daqueles momentos alegres e descontraídos entre os dois, que já não acontecem faz muito tempo pro meu gosto.
    Agora, tive a sensação que o Sam está em paz com tudo o que ele fez para encontrar e curar o irmão. Ele sabe que foi longe demais, mas não pretende se afundar em um mar de culpa por isso. Fez o que tinha que fazer e pronto.
    E o Dean resolveu parar finalmente para questionar se tudo o que eles têm feito para salvar um ao outro tem valido mesmo apena. Bom, como disse o Sammy, eles ainda estão aí, né não? De qualquer forma foi uma inversão de papéis interessante nessa altura da série.
    O que eu acho é que os meninos estão precisando de um caso que lembre aos dois porque eles são importantes, que lembre porque o negócio da família, salvar pessoas e caçar monstros, ainda vale apena. Lembrar aos dois porque a família é importante, que ficar juntos e lutar para salvar um ao outro tem feito muito mais bem do que mal. Enfim, lembrar porque os livros do Chuck serão conhecidos como o Evangelho dos Winchesters. As vezes acho que até nós, os fãs, esquecem isso.
    Talvez a leitura teatral da história dos irmãos no próximo episódio possa ajudar a fazer com que Dean e Sam lembrem porque o trabalho deles é importante.
    Obs. Eu amo o Castiel de paixão, mas são episódios como esse, concentrados exclusivamente nos irmãos, me fazem lembrar porque eu realmente virei fã de Supernatural.

    1. Ana celia

      Euri, tambem gostei desse episodio porque ele foi centrado nos irmãos, figuras que me fizeram amar e assistir, até hoje, Supernatural.

  5. adriana

    bom eu adorei o epi 10×04,,,bom eu amo todos de paixão,,,mas vamos ficar bastante ansiosos com q vem por ai hunters!! muita agua ainda vai rolar,,,mas eu quero que eles voltem mesmo a ser aqueles adorados irmãos das primeiras temporadas… bom sei que o relacionamento andameio desgastado,,,mas como fã ,,,to louca pra que role aquele abraço fraternal,,,que me faz chorar e dar pulos de alegria ao mesmo tempo!!!

  6. Rodrigo

    Duas cenas marcantes, ambas no Impala. Uma em que Dean critica Sam por suas atitudes para recuperá-lo, a qual me irritou bastante. Qual é, Dean?! Se Sam nada faz, critica. Se Sam tudo faz, também critica. Parece esse famigerado “fandom” que nunca está satisfeito com o caçula. VSF! Mas me emocionei na outra, em que Sam “desabafou” para Dean o que sentiu por quase perdê-lo. Acredito que ali Dean pôde sentir que também é importante para Sam e o quanto este o ama. Fora o paralelo, como você bem disse, Suelen, com All Hell Breaks Lose.
    No mais, esse foi o melhor episódio até agora, não pelo enredo, que foi até mais chato que os dos anteriores, apesar do paralelo com os irmãos, mas sim porque não tinha anjo nem demônio, eram somente Sam e Dean solucionando um caso aleatório. Aí está a essência de Supernatural!
    PS.: Acredito que o plot de “demonDean” não acabou. Embora não quisesse mais ver os irmãos em pé de guerra nem separados, a solução me pareceu muito simplória. E espero dignidade para Sam por parte desses roteiristas na hora em que essa história for mais desenvolvida. E sim, ainda espero por uma boa conversa e um belo abraço.

    1. Lara

      Você esqueceu todas as coisas horríveis que Sam disse para Dean porque ele “ousou” salvá-lo na temporada passada??? Dois pesos duas medidas????

    2. Lara

      E super importante: Sam NÃO estava possuído!

  7. GABRIEL

    É, o Dean tambem não estava possuido!!!!

  8. Juliana Reis

    Eu não sei se gostei… nessa espera de meses pela season 10, eu criei muitas expectativas… não queria que o Dean fosse um demônio mas tb não esperava q a cura fosse tão rápida! Sempre eh assim, acontece uma tragédia e na temporada seguinte rapidin tudo se resolve! Dean ressuscitou no primeiro minuto do primeiro episódio da season 4!!! Claro, ufs, um alívio, e na série passaram-se meses, mas sei lá… foi previsível… e ele ficava lá dançando e cantando com o Crowley e sendo ruim! kkk eu não sei explicar, é simplesmente muito diferente de tudo q eu achava…
    Esse episódio eh um daqueles que não acrescenta nada… sabe, em toda temporada tem uns episódios que, ok, são legais e só.
    A cena deles matando os caras amigos da irmã da Kate… aff gente, que cena ruim…
    Eu to meia chateada… esperando grandes emoções e reviravoltas nos próximos.
    Amo tanto SPN, amo tanto esses 2!!!
    Enfim, eh isso!
    Bora esperar o próximo!
    Bjs !

    1. Ana celia

      Juliana, acho, é achismo mesmo, que essa sensação de não acrescentar nada se deva a intensidade que foi a 9° temporada. Coisas absurdas e inimagináveis aconteceram, principalmente no final, nos deixando com uma expectativa violenta. Parece que nosso cérebro meio que acompanhou aquele ritmo e agora está meio que difícil voltar á passividade que mais parece um marasmo.

    2. Ana celia

      Juliana acho, é achismo mesmo, que essa sensação de não acrescentar nada se deva a intensidade que foi a 9° temporada. Coisas absurdas e inimagináveis aconteceram, principalmente no final, nos deixando com uma expectativa violenta. Parece que nosso cérebro meio que acompanhou aquele ritmo e agora está meio que difícil voltar á passividade que mais parece um marasmo.

  9. Doctor

    Acho as caçadas fillers bem legais, tanto que esse tipo de episódio é interessante. No entanto, ficou evidente que o Carver não tem culhões para manter e desenvolver um arco diferente e impactante, e me parece também que ele tem medo de desagradar os fanboys e as fangirls que não aceitam ver seus personagens favoritos desconstruídos. No fim das contas, ele cometeu o mesmo erro do início da 7 temporada, basta colocar o Dean no lugar do Castiel.

  10. Ana celia

    Interessante, mas não consigo avaliar esse episódio. Gostei da sua análise e das falas dos colegas acima, pois abrem mais perspectivas. Porem aquelas falas de terem que dar um tempo…, será sublimação? Algo que me chamou atenção foi uma certa pobreza nos cenários. Achei as cenas no carro muito extensas, não que as falas não fossem importantes, mas poderiam ter usado outros espaços. Foi uma benção Castiel ter ficado de fora, não ter aparecido, apesar de gostar dele.. Os irmãos necessitam resgatar o espaço que lhes é devido nesse seriado, pois eles são a mola propulsora, a alma de todo esse show.

  11. Lule

    QUE SAUDADE DAS CONVERSAS NO IMPALA!
    Essa marca registrada da série estava fazendo muita falta.

  12. Joe

    Só me respondam uma coisa: Quando lobisomens se transforman em plena luz do dia?
    E ainda mais, quando eles possuem conciência de sua transformação e a controlam?
    Halou? Madson?
    Cadê SPN? Virou menininha mesmo o negócio?

    1. Em SPN a mitologia sempre foi tão mutante quanto as criaturas. A cada cinco ou seis episódios, é mencionado que a “lore” pode mudar.

Leave a Comment