[Análise Hunter] Brother’s Keeper, por Lu Pires

Sobre a finale de Supernatural: não sei se é porque eu estava meio apreensiva quando assisti (cheguei em casa depois da exibição do ep e minha bebê estava passando mal e eu não conseguia falar com o veterinário), mas pra mim não foi aquele Swan Song todo que estavam prometendo, não. Assim, eu gostei bastante do ep, com certeza aquela Morte foi surpreendente e o gancho que deixaram pra próxima foi sinistro, mas ainda não chegou em Swan Song, EMBORA eu tenha visto muitos paralelos com esse ep. Mas eu chego lá.

Não sei por onde começar. Hahahaha sério, escrevi um esquema aqui numa folha de caderno enquanto reassistia o episódio, mas tá tudo tão desordenado… mas tá, vamos do começo, mesmo. E o começo foi aquela versão fofíssima de Carry On Wayward Son usada no ep 200, que delícia ouvi-la de novo, principalmente da forma como juntaram a versão original depois! E me deu vontade de colocar essa música como ringtone do celular outra vez. ^^

Começa o episódio com Sam discutindo com Cas sobre não ligar pras consequências de remover a Marca, até porque ninguém sabe quais ou como seriam essas consequências. Desde a primeira temporada, vilão atrás de vilão fala do “egoísmo” dos Winchester, deles sempre se colocarem “acima do bem maior”. Quem lembra quando a Lilith ofereceu sair de cena em troca dos dois mortos? Mais de uma vez um ou outro irmão já se mostrou disposto a se sacrificar pelo bem maior, alegando que eles não são melhores que os outros. Dean já comentou (quantas vezes?) estar cansado e que o mundo não o merece. E aí sempre aparece o segundo irmão para convencê-lo do contrário. E geralmente isso termina em tragédia, porque um mal enorme vem ao mundo quando um impede o outro de se sacrificar. Mas AÍ é que está o belo de Supernatural: eles não desistem nunca um do outro, independente do perrengue que tenham que enfrentar como consequência, porque do perrengue eles tentam dar conta depois, desde que estejam juntos.

Depois, vemos Dean trabalhando num caso. Achei meio fraco, mas pertinente, já que por causa da Marca ele tem essa “necessidade” de sair matando por aí. O caso foi importante pra mostrar o quanto ele estava completamente sem empatia, quase como o Sam quando estava sem alma. A diferença aqui é que Dean percebeu que chegou ao fundo do poço, reconheceu que não estava mais sendo ele. Aliás, kudos pro Jensen, a forma como ele vem desenvolvendo o Dean por todo esse tempo tem sido tão sólida que a mudança do personagem nessa temporada se mostrou algo completamente novo, inesperado e maravilhoso, e Dean interpretou com maestria da mesma forma que Jared com o Soulless!Sam! Bom, mas voltando, aí então ele vai atrás da Morte. Jogada de mestre essa, afinal a única coisa que realmente poderia fazer o serviço que Dean estava procurando era ele. Ou não, né…

Sam sai para procurar Dean, e o encontra depressa (não resisti pensar no Quico narrando como encontrou seu gatinho na rua). Ou encontra o hotel onde ele deixa seu bem mais precioso – SHE’S ALL YOURS, isso partiu meu coração de um jeito que vocês não fazem ideia! – até receber a ligação. Ao encontrar Sam no restaurante mexicano (com as artes retratando o Día de los Muertos – BRILHANTE!) e contar pra ele todo o plano maluco de matá-lo e depois se isolar, Dean me fez pensar se ele realmente estava disposto a sacrificar o irmão. Porque Dean não vê, nunca viu, problema em sair de cena pelo bem maior. Agora, o que ele não suporta é que o Sam tenha que fazer isso, ele precisa protegê-lo, fez de tudo pra dissuadi-lo de fechar os portões do inferno. Isso me fez acreditar que por mais que ele estivesse ciente do quanto ele estava messed up, a Marca ainda falava por ele. Já sobre ele se isolar do mundo, engraçado isso me fazer lembrar de The Song Remains The Same, quando eles aceitam a ideia de separar Mary de John, para que eles “nunca tenham nascido”…

Voltando à Morte (gente, eu divago demais, alguém me ensina a escrever com consistência?), não sei bem se achei interessante, repetitiva ou inconsistente a história dele sobre a Marca e a Escuridão. Interessante, pelo simples fato de ser, porque ela é. Repetitiva, porque me lembrou muuuuuuuito a história que ele mesmo contou sobre os Leviatãs. Mas muito mesmo. De eu pensar que os roteiristas pegaram a mesma história e só deram uma roupagem nova. “Deus, antes de criar os homens e os anjos, criou as primeiras bestas”, e então viu que isso era ruim, e trancou as bestas longe, no Purgatório, pra ninguém jamais encontrá-las, abrir as portas e soltá-las no mundo (oops!). Sounds a little familiar? E inconsistente, porque me pareceu bobo “justificar” Lúcifer ser quem é com a Marca… foi como no momento em que, tchã-ram, de repente a faca dos anjos também pode matar demônios, oooohh!! Tinham só uma faquinha a vida inteira e de repente descobrem que todas as facas que pegaram dos anjos resolvem metade dos problemas… Achei, não sei como dizer, forçado? Não é bem essa a palavra… mas não gostei muito, não… mas, como eu não sou de tirar conclusões antes de ver o que de fato vai acontecer, esperemos cenas dos próximos capítulos pra saber como isso vai se desenrolar.

A briga. Aaah, a briga, como me dói ver os irmãos se socando. Muito. Essa briga me lembrou, ao contrário de muita gente, o final da 4ª temporada, quando eles brigam por causa do sangue de demônio. Não sei, não me perguntem por que faço essa associação… hahaha Ela, com certeza, espelhou muito no 5×22 o fato de um irmão não desistir do outro nem quando este se tornou “mau”. Outra associação é quando Sam diz “você deve ser detido antes que machuque mais alguém”, me fez lembrar um pouco do porquê Dean concordou em deixar Sam pular na jaula de Lucifer.

No fim da briga, com Sam ajoelhado, machucado e o rosto coberto de lágrimas (pausa pro coração apertado), Dean dá a loka e gira a foice direto para o Señor Muerte. Veeelho, que desequilíbrio louco no mundo isso não pode ter causado!? Ri das expressões dos meninos, Dean com cara de “que porra eu acabei de fazer” e Sam “masoq?”. Foi um momento de “alívio cômico” que meu cérebro pensou pra desviar um pouco de toda a tensão.

Falando em tensão, só eu tive a impressão de que Sam tava passando algum “código” pro Dean? Os olhares dele me pareceram tão significativos, a pigarreada que ele dá antes de dizer “me mate”, os olhos apertados ao dizer “eu entendo”… ele entrega as fotos, depois dá um aceno de “é, é isso mesmo que você entendeu que eu quero que você faça”. Sei não, eu tenho essas viagens, relevem… acho que sou eu em negação, só… hahaha e nossa, como esse momento me quebrou… “let these be your guide”, arrepio só de lembrar.

Aí então, a Marca sai. E a Escuridão entra. E o medo se instala, porque cara… respondendo à pergunta do Dean, não, isso não parece nem um pouco certo pra mim!

Antes de encerrar, vamos a uma breve análise dos nossos queridos secundários (posso chamá-los assim?). Amei a “volta” do Crowley sarcástico, cabeça-quente, aquele vilão que eu amava odiar, O Crowley! Embora ele não esteja lá 100% “ele” ainda, pelo menos deixou de ser o personagem apático que fizeram dele praticamente a temporada inteira. Ele estava sem sal e sem propósito, mistura de sangue humano com mãe, talvez? Independente do motivo, gostei que ele voltou. Sacanagem se, logo agora, vão e matam ele! Hahaha poxa, Cas, não faça isso… Aliás, Cas é outro… olha, pensem comigo, ele recuperou a Graça dele, certo? Meio zoada, mas recuperou. O que ele fez com essa Graça até hoje? Cadê que ele não foi sequer atrás da Charlie, gente, a Rowena conseguiu dominá-lo, poxa! Não sei, achei o Cas bem apagado nessa temporada. Já a Rowena… conseguiu o que queria, se libertou, arranjou a morte do filho, catou o livro debaixo do braço saiu sambando hahaha gostei dela, mas confesso que só comecei agora, porque, na minha mais que humilde visão, pra mim ela era o motivo da apatia do Crowley… ele meio que já havia contornado aquela história de sangue humano, aí ela surge e ele vira um puppy nas mãos dela. Não estava gostando mesmo. Mas comecei a ganhar simpatia por ela mais pro final.

 

Considerações finais:

Alguém havia comentado em algum lugar, que não lembro nem a pau, que sentiu falta de um abraço entre os bros (foi você, Su?). Eu acho que não rolou porque eles estavam perplexos demais com a morte da Morte e a remoção da Marca pra pensar em qualquer coisa… tanto, que quando vinha a fumaçona de Lost e eles entraram no carro, e o carro atolou na lama, eles não tiveram a ideia de sair e entrar no outro carro que tava ali do lado! Fiquei gritando “entra no outro carro, porra!” pra tela do computador. True story. O que eu senti falta, mesmo, foi de uma música impactante no final. A cena pedia uma música impactante, como Bad Moon Rising no 1×22 e Don’t Look Back no 2×22. E o finzinho, com o Sam falando “Dean” assustado, me lembrou Lucifer Rising.

Como podem ter percebido, muita coisa me fez lembrar muita coisa. Não sei se isso foi proposital or what, mas foi uma finale digna e eu espero ansiosamente pra saber no que essa Escuridão toda vai dar. Os Winchester serão capazes de detê-la? Teremos crise de energia no mundo? Finalmente eu vou poder sair na rua sem 1kg de protetor solar na cara? Cenas dos próximos capítulos. Uma coisa é certa, porém. É “nós contra o mundo” again, bitch! o/ E como eu adoro os irmãos engajados numa luta comum! Que venha a #onze com tudo!

 

CARRY ON!

 

PS: “Does that sound right to you?”. Tipo, aquele momento normal, de alívio, até, seguido de uma tragédia, só eu associei com “Do these tacos taste funny to you?” seguido de “Heeeeeat of the moment…”? 😉

Related posts

27 thoughts on “[Análise Hunter] Brother’s Keeper, por Lu Pires

  1. Carlos

    Me corrijam se eu estiver errado, a marca não é uma maldição??
    Se for aquela historia que Deus trancou a escuridão onde ela não poderia fazer mal nenhum… ele criou uma marca que serve como chave e fechadura…… ou seja a marca como isso não seria uma maldição… e como toda a chave pode ser quebrada… e não removida…
    Alguém ficou na duvida tambem

    1. Lu Pires

      Oi, Carlos! Olha, confesso que não tinha parado pra pensar nisso… hahaha É um bom tópico pra discussão! =D

  2. Léonzinho

    Eu juro que tentei ser o mais breve possível… E não reparem ser o terceiro comentário que estou fazendo por aqui, é que as analises agregaram muito pra mim. rs

    A Versão Episódio 200th de Carry on foi o início deste episódio que já prometia ser marcante. (só pela presença da morte kkk)
    Pra quem há uma semana assistiu o que (na minha opnião) também foi digno de final de temporada, a expectativa era por algo em um padrão correspondente ou superior.

    E começa com Dean caído no chão. De cara uma sensação “Ele fez algo ruim”. E não parecia o Dean. Não agia como o Dean (pelo menos não o humano).

    Sam estava obsecado por curar o irmão. Ignorando o que já é bem conhecido por eles, as consequências. Embora estas fossem desconhecidas.
    E eu fiquei impressionado com a lista de ingredientes para o feitiço de remoção da marca (sério, as correspondências que a série faz com coisas da bíblia é incrível). Ao mesmo tempo dei boas risadas com Crowley forçando Castiel implorar por ajuda… Aliás, pra mim, Cas mostrou-se útil por alguns instantes ao penetrar na mente de Rowena e só. Em todo o resto acho que ele não precisava estar ali. (me desculpem)

    E continuou tudo na mais pura adrenalina. O mini caso, onde Dean agiu sozinho e como você disse Lu, fez lembrar Sam sem alma e depois a crise de consciência que o fez quebrar tudo do quarto onde estava.

    Outro ponto que gostei foi a interação entre Crowley e Ollivete, que de fato dedurou a inimiga com revelações que foram essências para o enredo. Oskar… tadinho, pagou com a vida (adorei a conexão).

    Depois meu coraçãozinho disparou e quase não consegui acompanhar as cenas seguintes. Foi uma mistura de desespero, apreensão, emoção, tensão, loucura… já estava prevendo um ataque cardíaco.

    Eu tentei imaginar até o fim que Dean nunca mataria Sam, mas aquele “Sam feche os olhos…” me derrubou. Assim como você Lu, também vi um possível transmissão de mensagens entre eles e eu achei que de fato Dean tinha entendido… mas fui derrubado de novo por aquele “Desculpe”. Não tenho vergonha de dizer que derramei umas gotas de lágrimas, porque sabia que de fato alguém teria que morrer nesse episódio e um dos Irmãos nunca sai intacto no final de temporada e senti um gelo na barriga quando Dean girou a foice.
    Não consegui pensar em nada. Só fixar os olhos. Quando a morte virou barro eu dei uma respirada tão profunda que parecia que estava prendendo a respiração por alguns minutos… Soa estranho dizer “a morte morreu” kkkkkk

    E depois disso complicou… já estava suando frio, com as mãos úmidos… descrente do que estava acontecendo, em panico com Rowena concluindo o feitiço, pensando sobre a revelação sobre a marca feita pela morte, assustado com Dean sendo “eletrocutado”, desesperado pela remoção da marca, apreensivo quando a Cas matar Crowley… e dei uma leve passada no vídeo para conferir quantos minutos restavam… E começou o gancho. Perfeito. Incrível… a escuridão estava vindo… (confesso que estava tremendo de nervoso) o carro atolou… ninguém teve a magica ideia de sair do carro e acabou.

    Eu linkei esse episódio ao final da 2ª temporada quando o portão do inferno foi aberto e vários demônios saíram, ao final da 4ª quando a Lúcifer foi liberto da Jaula e os meninos ficaram presos. Ao final da 5ª quando “LuciSam” espanca Dean e Sam encontra nele “um lugar para retornar” (vide Naruto, perdão kkk) tipo… me veio muitas conexões na cabeça e isso me fez classificar o episódio como – Um dos melhores dentre todas as 10 temporadas da série.

    Bem, escrevi demais… então preciso correr pra responder algumas coisas – Sobre sua opnião a respeito da revelação da história da marca: Eu gosto dessas histórias que retratam pensamentos padronizados. Nem tudo começou “no inicio” existiam coisas antes e os Leviatãs foram um ótimo enredo, só que não deu certo. Tende-se a ser dito tudo de forma padrão porque de fato, há muito sobre o início que não sabemos… depois dele sim, quase tudo já é conhecido… Mas vamos ver no que vai dar esse plot. rsrs

    Adorei sua análise e os pontos abordados!!! Pensamentos e opniões novas são sempre bem vindas e você me proporcionou isso! 😉 Parabéns Lu!!!

    Ah… e eu adorei o orquestral do final do episódio… assim como o da 9ª temporada… mas tenho que confessar que não reclamaria de uma outra musica com mais impacto no final! rsrsrs

    Até a 11ª temporada 🙂

    1. Lu Pires

      Léonzinho, gente, esqueci de comentar sobre os ingredientes do feitiço hahaha realmente, também achei bem legal!! E cara, muito boa a associação com o fim da 2ª temporada, lembrou muito os demônios escapando do inferno!

      Também tô ansiosa pra saber pra onde essa história vai… porque é preciso muita criatividade pra criar algo sobre o “antes do princípio”! Escritores, nos surpreendam (pro lado bom, please!) Muito obrigada pelo comentário!

  3. cris

    Uma pá de gente sentiu falta do abraço, Lu. Eu tambem. Mas acho que não aconteceu porque além da surpresa total dos acontecimentos, to achando que ainda vai rolar uma discussão entre eles no inicio da season 11. Aquele comentario do Dean, quando o Sam diz “isso é bom, Dean, a marca desapareceu” (mais ou menos isso), ao que Dean responde: ‘É, tudo parece perfeitamente bem pra mim”; aquilo foi quase o mesmo que perguntar: Sam, voce usou o livro, apesar de eu ter te pedido pra não fazer isso? Acho que não vai passar de uma rusguinha de meio episodio, mas acho que vai rolar; afinal, eles nunca aprenderam a lição, porque seria diferente agora, né? Tambem senti falta de uma musica de arrepiar o pêlo da alma, mas ja que estamos falando de contrapontos entre eps., a final da 4² tambem não teve ( ou to enganada), e eu tambem achei a briga deles mais associada àquela briga do que a swang song. Ja quanto ao Sammy tentar dizer algo ao Dean em código, eu acho que não, tava mais pra eu entendo e perdôo mesmo. Bom, mas é só minha opinião, e em se tratando de SPN, aposentei a bola de cristal, o tarô, e qualquer outro metodo que permita ver o futuro. rsrsrsrsrs

    1. Lu Pires

      Criiiis, imagina se tem briga no começo? Meu coração não aguenta… hahaha mas faz sentido, também achei que as falas finais deram abertura pra isso… medo! Hehehe sobre a música, enquanto escrevia a análise, pensei, nossa, muitas finales tiveram música, essa bem que podia… aí parei pra pensar melhor… e finales com música são minoria! Hahahahaha por isso que citei só duas! Mas acabei deixando, pq afinal senti mesmo que merecia uma trilha arrepiante!

      Agora, acho que era meu psicológico que tava em fase de negação quando enxerguei “significância” no olhar do Sam… não deve ter sido nada, mesmo, mas sabe quando vc quer acreditar muito numa coisa? Hahaha também desisti de fazer previsões com SPN, eles sempre me surpreendem!! Beijos e obrigada!

  4. U-huuu, uma nova visão dentro de uma mesma visão… gosteim Lu Pires…
    Primeiro você deu um enfoque na trilha sonora e a primeira coisa que me pegou de cheio foi a moça cantando a bela canção no início da finale…tudo de bom… adorei a escolha da canção para a escuridão, você precisa se responsabilizar pela trilha sonora do filme e ajudar esse pessoal nessa movimentação frenética de uma série como essa…
    Não deu tempo para o abraço dessa vez, mas durante a escuridão, em algum intervalo eles irão se abraçar e dizerem um para o outro, ainda estamos juntos…também achei como você que ambos não tiveram tempo para isso,uma coisa engrenou na outra…
    Como você também não quero a morte do Rei do Inferno que precisa ainda medir muita força com a mãe Bruxa que nunca o amou, assim como o anjo, eu acho sacanagem ele ter que morrer ao chegar a escuridão, aliás sua luz tem que estar forte pois em se falando de escuridão, ela é a união aí de tudo o que não presta, então meninos e Castiel, vamos acender essas luzes em 200 Volts por favor, pois só a luz acaba com a escuridão e vocês terão que estarem iluminados, e nós aqui também, pois assistir a série é como estar lado a lado com os Wichester e tudo o que implica a vida lancinante dos dois…
    Lu, adorei suas elucidações e a maneira bem humorada de escrever até das suas dificuldades, dizer ter algumas dificuldades e escrever bem é só para as fortes… adorei… bjooo… Namastê!!!!!!!

    1. Lu Pires

      Oi, Indignada! Sempre achei a música em SPN, seja canção, seja trilha original, simplesmente fantástica (exceto quando teve aquele My Heart Will Go On, mas nem tudo sempre é perfeito… hahhaha)! Apesar de eu sentir falta de uma canção no fim, gostei da trilha que deram…

      Olha, confesso que não gostei muito do Crowley nessa temporada, achei que tiraram um pouco do personagem, como falei no texto… mas agora ele voltou!! Agora, ele tem que continuar! Hahaha Já Castiel, se for pra continuar, que seja com um propósito e um encaminhamento legal, porque essa temporada, na minha opinião, não foi pra ele… =/ espero que ele consiga ajudar os meninos com esse novo desafio!

      Hahaha é, minhas ideias fluem muito rápido na hora de escrever, tenho que esquematizar, senão me perco toda! Muito obrigada pelo comentário!!

  5. Como conseguiu escrever tudo isto Lu Pires ? rsrsrsrsrs.Foi muito detalhado, e da pra ver que fez o dever de casa bonitinho escrevendo os pontos altos.

    Tirou 10! kkkkk

    Mas vamos lá deixando as brincadeiras as partes…Cada um tem uma impressão deferente , quando se leva pela visão de cada um dos personagem . E Você foi principalmente pelo lado de Dean. Pov Dean. Nenhuma critica, foi muito bem feita.

    Eu resolvi observar pelo contexto englobando tudo kkkk na mesma panela

    Pra mim foi um lapso do roteiro neste quesito: DEAN que estando em total falta de controle sobre a influência da marcar. Não mostraram no decorrer da temporada com muita veemência seu estado letal, eu tô falando mas letal que o letal.kkkkk Ele até se comportou numa boa .A não ser os pesadelos ,ou deitar a faca mas ferozmente nos inimigos .De resto estava normal pra mim.kkkkkk

    Senti falta de um comportamento mas explosivo , pois quando Sam se aventurou com o sangue do demônio, vimos que claramente ele estava indo para um mal caminho. Ele gostava do poder que o sangue trazia sobre ele.

    Já Dean só nos últimos capítulos desenvolverão mas assiduamente este desejo.

    E assim mostraram um Sam desesperado a procura de uma cura para comportamento de ( Dean violento ). Mas Poxa Eu adorei DEan matando toda família Frankstein CORTANDO CABEÇA DOS VAMPIROS. kkkkk

    Eu creio que tiveram mil e uma coisa sem explicação . Que deixa agente assim falando sozinha .Ué mas tal coisa pode fazer agora?

    Este é o problema de quem assiste supernatural desde o começo , acaba que vendo os furos do roteiro.

    Embora não importe, agente continua assistindo mesmo.

    Eu queria mandar um abraço pra Clarice , senti falta da analise dela este ano. Polly também desapareceu do mapa. Meu carinho pelas duas. E Deus abençoe Suelen e Vicky por continuar com o mesmo amor de sempre.

    E mando um outro abraço para você Lu Pires , uma nova integrante da equipe. Isto é muito bom . Uma amiga de supernatural é nossa amiga também. Beijos

    1. Lu Pires

      aww, Sonyama, que fofa vc! hahaha obrigada! É, comecei agora, é minha 2ª análise e pouco a pouco estou me familiarizando com isso aqui! E, pra mim, quanto mais amigos Supernaturais, melhor! 😉

      Como eu escrevi tudo isso? Olha… não sei! kkkkkkkkk vou só escrevendo, escrevendo, aí quando vejo lá se vão 10 páginas no Word, e tudo desconexo! hahaha mas no fim tudo dá certo!

      Concordo quando vc diz sobre as falhas no plot… coisas pequenas, mas que pra gente, que assiste há muitos anos, é gigantesco! Eu senti falta de mostrarem melhor esse lado dark do Dean durante a temporada… tá, mostraram, mas não foi tão “OOOH” quanto era com Sam e seu sangue de demônio… sem contar que eu ia adoraaaaaar ver isso, como eu adorei o DemonDean no começo da temporada! hahaha

      1. Aaaaahhh Lu , você é vidente ? Como descobriu ! Estou fofa mesmo kkkkk Preciso perder uns quilinhos kkkkk

        Você é um docinho rsrsrsrs

        Eu tenho muita admiração pelos integrantes do grupo Spn is life Lu . A dedicação, o amor aos nossos heróis . Cada um com seu ponto de vista ,pra mim é divino ler as opiniões.

        E sinto orgulhosa pois participamos de um grupos unido. É como se fizéssemos parte do bunker dos homens das letras .

        E por amor a eles , bem , as vezes extrapolo nos comentários . Confesso que algumas temporadas me envolvi demais , e me deixei levar pelos sentimentos . E fui aos poucos caindo na real , pensei: Perai isto é um seriado pra mim divertir! Não pra ficar me engalfinhando com outros. kkkk

        E estou curtindo levemente, e dando muito valor ao trabalho extenuante tanto de Jensen como Jared. E não posso esquece dos outros atores,que são maravilhosos. O roteiro pode as vezes não fazer jus ao talento deles , mas eles estão dando sangue suor para continuar. O minimo que posso fazer é apoia-los.

        E por continuidade prestigiar pessoas como você, que por mas que estivesse ocupada, dedicou seu tempo para escreve sua analise. Meu muito obrigada Lu.
        Beijos querida.

    2. Lu Pires

      Ah, e as meninas mandaram dizer “que lindo, muito obrigada!” 😉 seu recado foi dado e recebido com muito carinho! ^^

    3. Sonyama passei “pessoalmente” aqui pra te dar um oi e um obrigado!!
      Vc é uma linda!! Bjocas..

      1. Nossa Polly estou emocionada. Sinto sua ausência , você faz falta. Muita falta.

        E espero que possa voltar ,sabe, pra dar ao menos sua opinião. Você é garota que agita como uma tempestade. Como Nero que pois fogo em

        1. Continuando kkkk Como Nero que pois fogo em Roma kkkkkk Alguém que deixa marcado pra sempre sua marca na historia. Não tô falando da coisa relacionada ao mal, e sim da pessoa inesquecível . Então estou torcendo para que faça sua Analise também . Beijos Mestre!

  6. Laura

    Heeeeey, como é bom ler posts como esse.. Sinceramente, como amo a serie, sou super focada na historia e no enredo e me apaguei aos personagens de uma maneira catastrofica, ler comentarios destrutivos nao é nada legal… mas estes, q tive o previlegio de ver, sao construtivos e vindos de pessoas que realmente sabem o que estão falando!!!
    muito obrigada por ter expresso sua opniao de forma tao educada e decente..
    acabei d ver o ultimo episodio, e ainda estou em fase de reabilitação, as perdas nessa temporada (Charlie e possivelmente Crowley) foram dolorosas!! E to com muito medo do q possa acontecer com o Cas… obs: odeio a Rowena
    mas de qualquer forma, vlw 🙂

    R.I.P eterno for Charlie :(((

    1. Lu Pires

      Oi, Laura, obrigada por comentar! Quando amamos algo, sempre queremos conversar e ler coisas de pessoas que gostam do mesmo jeito que a gente, né? Por isso, estou amando os comentários de vocês e as análises dos outros fãs da série, nos permite enxergar a série e o episódio por diferentes pontos de vista, e isso é incrível! Continue por aqui discutindo a série com a gente! 😉

      A morte da Charlie, caraaa… muito triste, não precisavam ter matado a coitada… =/ já Rowena, eu já gostei menos dela, sabe… agora eu até acho ela simpática. Vamos ver se na próxima ela vai subir um nível na minha escala de “gosto”! kkkkkkkkkkkk beijos!

  7. Laura

    aaaah, mais uma coisinha.. se alguem souber o nome da musica q toca na cena mega triste onde mostra os meninos lembrando da Charllie na hora de cremar o corpo dela, por favor me diga..

    1. Lu Pires

      Laura, se tem uma coisa que eu adoro, e faço bem feito, é descobrir música! Nossa, se vc quer me ver fazer um serviço com gosto, me pergunta “qual a música que toca em ______?” kkkkkkkk tem vez que eu escuto um trecho aqui, uma melodia ali, e eu reviro a internet até encontrar!! E geralmente eu acho! kkkkkkkkkkkkk tá, parei! Ó, a música que vc tá procurando chama “Go Wherever You Wanna Go” da Patty Griffin (nunca ouvi falar… =/ ) E eu catei lá do SuperWiki, crédito pra eles! 😉

  8. Sincero

    Gostei muito do seu texto, mas essa foi sem dúvidas a PIOR finale de todas ! Não conseguiu me despertar emoções, teve um desenrolar muito fraco. Por outro lado, abriu a porta para uma 11ª Temporada impecável, aquelas dos bons tempos de Supernatural, pois a única graça que teve foram as milhões de possibilidades e teorias do que pode acontecer. Que a próxima temporada arrebente e que seja a última, façam apenas mais uma por favor ! mas que seja digna. Sam e Dean são apenas coadjuvantes de tudo da 6ª temporada até agora, pois o foco foi sempre Castiel, que na próxima temporada vai descobrir que é Deus.

    1. Lu Pires

      Obrigada, Sincero! Engraçado, esse final também me envolveu mais no final do que no desenrolar… mas eu não ele achei de todo ruim, não… hehehehe também tô muito curiosa por essas milhões de possibilidades pra próxima temporada, viu! Vai ser difícil sobreviver a esse hiato!

  9. Ana Célia

    Lu se alguém tinha alguma dúvida á cerca de você não ser fã de SNT, acaba de desfaze-la assim que ler essa sua análise. Como você consegue descavar fatos passados dos episódios anteriores (e bem anteriores) e compará-los com os acontecimentos dos episódios atuais? Você é ótima em memória menina!! Gostei muito da sua análise.

    1. Lu Pires

      hahahahahhahahaha Ana Célia!! Obrigada! Olha, pra isso meu cérebro funciona… já pra lembrar 5 anos de faculdade… kkkkkkkkk acho que é porque eu vi tanto episódio repetido, tantas vezes, que daqui a pouco chega no nível Chaves (saber já todas as falas de cor) kkkkkkkkkkkkkkk 😉

      1. cris

        rsrsrsrssr EU Tõ quase lá,Lu. De vezemquandome pego respondendo as perguntas que os personagens fazem um pro outro.Tenso…mas divertido

  10. Rafael B

    Um final perfeito para os winchester seria eles conversando e o dean dizendo esse é o negócio da familia,fecha o porta mala e os dois vão caçar *-*

  11. carina venske

    Fico pensando comigo, se eles morrem e revivem tanto, aquele anjo já tinha ressuscitado a Charlie em um episódio, pq não tentaram isso de novo, tipo pedir para o Cass, não sei se depende do tipo de morte,…

Leave a Comment