[Análise Hunter] “The Foundry”, por Clarice

image

Após longo e tenebroso inverno, voltei.
E eu achando que esse episódio era um filler, qual não foi a minha surpresa, quando ao final do mesmo, assistindo na sexta de manhã, eu estava com lágrimas  escorrendo pelo meu rosto. E olha que faz tempo que um episódio não faz isso comigo. Nem quando o Sammy estava sendo torturado por aquela Tonychata ou BritishBitch…
Gente eu vou falar primeiro do filet mignon do episódio, ou seja o relacionamento dos três personagens principais – Mary, Sam e Dean. A Mary tendo dificuldades para dormir. O Sam percebeu, acho que o Dean também, mas ele sempre ignora as coisas que ele acha que não são importantes, esse é o Dean… a Mary vem e diz que achou um caso. Ok lá vai a família Winchester numa caçada. Mas o que fica bem claro desde o começo é o quanto a Mary está se escondendo e fingindo que tudo está bem (isso lembra algum dos filhotes???). E é claro que ela ainda não entende esse mundo tecnológico, no qual nós colocamos mais fé numa máquina do que nos instintos… e é isso que o Sam e o Dean fazem – vou falar essa frase com frequência nessa analise – não estou julgando ninguém, estou apenas analisando o episódio que EU vi.
A Mary pode ter ficado fora do ar por mais de 30 anos, mas os instintos dela ainda são ótimos. Ela não confia em bugigangas, ela confia naquilo que se apresenta na frente dela, ela é uma caçadora à moda antiga, antes que a internet e outras engenhocas viessem para nos “ajudar” ou atrapalhar. A cena com o berço, bebê  chorando, a luz piscando foi muito real para a ela – um deja-vu – ela já passou por isso antes de ser morta, essa é a última lembrança dela enquanto estava viva. Isso mexeu com ela.
Na cena em que ela sai do banheiro e sugere que eles façam a parte de “bater pernas e buscar pistas” tanto o Sam como o Dean já estão fazendo boa parte desse serviço num computador. O Sam usa um termo interessante – obsoleto – e é assim que eu acho que a Mary se sente, obsoleta. Ela não se encaixa nesse mundo novo cheio de aparelhos que, teoricamente, fazem tudo pelos caçadores. Mas os instintos dela estão ainda afiados. Enquanto Sam e Dean vão salgar e tostar os ossos das crianças , ela trabalha à moda antiga e consegue entrar em contato com a mãe do menino que viu dentro da casa. E ai que temos um papo de mãe; ambas sabem o quanto dói tentar proteger um filho e não conseguir.
Os meninos estão no cemitério, fazendo o serviço, e temos o papo cabeça deles.
Dean – ela está se ajustando.
Sam – ela está em conflito.
Ambos amam e estão felizes por ela estar de volta, mas como sempre veem a situação de formas diferentes… amo esses dois moleques….
O Sam diz que ela está usando as caçadas como uma maneira de não lidar com os problemas e diz que sabe disso por experiência própria e usa a frase – Tal mãe, tais filhos… pois é…
Quando voltam ao hotel descobrem que mamãe saiu para caçar sozinha. Novamente vou usar o termo “instinto”. A Mary é instinto. Ela vem de uma linhagem de caçadores que data dos primeiros colonizadores nos EUA.
Eles vão ajudar a mãe e juntos conseguem resolver o caso.
E a cena final… e a conversa … o que eu sabia e temia desde que ela voltou. Ela tem que partir. Ela tem que se separar novamente dos filhos para tentar entender a razão pela qual ela voltou.
Doeu ouvi-la dizer aquilo tudo para os meninos. Mas eu a entendo a razão dela fazer isso, usando uma metáfora, ela viajou um tempo e quando voltou, os filhos eram homens feitos, tomavam suas próprias decisões, ela não os conhecia mais, ela nunca quis essa vida para eles e ela viu o que essa vida trouxe para eles. Ambos são excelentes caçadores, talvez os melhores, mas não era isso que ela queria. E o que tudo isso causou para o homem que ela amava, ou melhor ainda ama.
Eu acho que a decisão que ela tomou no final do episódio (certa ou errada, não sou ninguém para julgar – “Aquele que estiver sem pecado que atire a primeira pedra”). Ela está indo embora para poder “se” encontrar.Ela está perdida num mundo que, na maioria das vezes, se baseia apenas na tecnologia, enquanto ela (como caçadora) se baseia em fatos e instinto. E no caso deste episódio, os instintos dela estavam certos.
A atitude do Dean foi típica. Quando algo ou alguém o magoa, ele se fecha, ele se volta para dentro de si mesmo. Ele tem que ter um tempo para digerir tudo. Esse é o Dean – aquele menininho que pegou o baby Sam nos braços e o carregou para fora de uma casa em chamas. Esse é o “Dean mode” de resolver e digerir as situações. Sam tentou ver o lado da mãe, ela sabe melhor do que ninguém como é sair e ter que voltar para esse mundo do sobrenatural. Mas ambos estavam se protegendo do pior – que aconteceu – o barulho da porta se fechando foi alto demais…
Eu não acredito que ela, propositalmente, quis magoar os dois. Mas gente, ela não conhece esses dois homens, que por um acaso são filhos dela. Ela voltou para um mundo onde os dois filhos pequenos dela são homens barbados e mais altos do que ela (palavras textuais ditas por Samantha Smith no painel da San Diego Comic Com deste ano) e o homem que ela amava/ama se transformou em algo que não queria….
A Mary tem culpa no cartório, creio que sim, mas mesmo assim, eu não consigo ter raiva dessa mulher que amava/ama duas crianças e o marido. Que fez tudo que podia para protegê-los e falhou… e agora está vendo o resultado disso. E ela precisa de um tempo para conseguir entender tudo isso. Para tentar se perdoar e aí sim, conseguir ir com os filhos à luta.
Eu vejo a Mary como uma caçadora de primeira e que, se os produtores e escritores quiserem, pode ser uma aliada e tanto nessa temporada.

Agora vamos falar do arroz e feijão, também conhecidos como Castiel – Agent Beyoncé, Crowley – Agent Zee, Rowena – Red e Lúcifer  – Keith Richards ou Iggy Pop .
Depois de vários invernos, eu gostei do Castiel nesse episódio – é, isso acontece às vezes (kkkkkkkkkk). Esse Castiel conversando com a Mary e dizendo para os meninos que ELE precisava resolver o problema chamado Vince Vincente (o nome é ridículo demais), ou seja Lúcifer, me fez lembrar do Castiel das 4ª e 5ª temporadas – um anjo badass….
Agora, Agent Beyoncé foi demais – alguém pelo amor de Chuck ensina ao Cas como fazer uma identidade falsa com um nome plausível!!! Até o Agent Zee, ou seja, Crowley, sabe disso – rindo para caramba…
Os dois meio a contragosto se juntam para caçar Lúcifer, agora usando a pele do roqueiro Vince Vincente. A cena dos dois entrando no carro foi hilária (e muito bem interpretada) Ambos me lembraram os personagens nas primeiras temporadas, quando ainda eram badasses… Para mim os dois, mais Rowena, foram o alivio cômico do episódio, para trazerem um pouco de leveza.
A interpretação desse quarteto foi muito boa… eu até consegui gostar mais da Rowena… finalmente ela percebeu que o Rei do Inferno não é aquilo que ela imaginava… e é muito perigoso, e por isso ela se tornou uma aliada na luta para mandar o Lulu de volta ao inferno…
Cas e Crowley tiveram cenas muito interessantes e mostraram que estão, mesmo a contragosto, juntos na luta para levar o Lulu de volta de onde ele não deveria ter saído. Mexer com o Diabo e achar que vai dar tudo certo, só em Supernatural mesmo…
Gostei da interpretação do Rick Springfield como Lúcifer, que deu um ar de roqueiro para ele sem perder o grande charme que é ser Lúcifer, mas ainda acho que vamos ver mais alguma coisa dele. Assim espero, por que o ator não tentou imitar o Mark Peligrino sendo Lúcifer, desse modo trouxe algo diferente ao personagem, sem deixar de ser extremamente perigoso…
De maneira geral, gostei do episódio, como sempre, não foi perfeito, mas trouxe algumas coisas novas e perguntas que não foram respondidas.
A titulo de curiosidade, a Mary se apresentou como agente Patridge e apresentou os outros dois agentes como sendo Cassidy e Bonaduce… bom deve ter muita gente aqui que nasceu antes dos anos oitenta, então o que vou dizer não é grande novidade, mas para quem não, aqui vai… Mary usou o sobrenome de uma série muito famosa nos anos 70 – The Partridge Family – conhecida aqui no Brasil por “Familia Dó Re Mi”, um dos atores dessas serie – David Cassidy é o pai da nossa Ruby 1.1 – Katie Cassidy. Informaçãozinha inútil, mas que gostei de dividir com vocês kkk
Carry on, hunters e fui!

Related posts

44 thoughts on “[Análise Hunter] “The Foundry”, por Clarice

  1. Crisitana

    O mesmo sentimento que eu tive. Gostei muito dessa análise.

  2. Cris

    Bela analise moça! Deu apertinho no coração mesmo a cena dos tres. To achando que essa temporada vai mesmo ser um retorno ao inicio, mais até do que a gente tava imaginando que seria. Eles agora vão (acho eu) atras do ´paradeiro da mãe, assim como foram atras de John ao longo da 1ª temporada. Claro, depois que Dean conseguir enxergar o lado de Mary como Sam já fez. Foi realmente um ótimo episódio, mesmo não sendo perfeito. E deixou pra mim , bem claro algo que Dean sempre dizia a respeito de Sam: que ele é mais parecido com o pai do que o proprio Dean jamais foi. Pois é, eu sempre ficava um tanto confusa a esse respeito. Eu pensava: caramba, o Sam tão doce e sensato não pode ser assim tão John, Deve ter muito da mãe nele. É claro que não esqueci que John se destruiu com a morte da esposa, e ele era um cara doce ( mas não perfeito) antes de tudo acontecer. E Sam é doce e tem lá seus defeitos tambem. Mas eu não conseguia vê-lo sem ter nada da mãe. Bem, mordi minha lingua, ja que Mary não tem quase nada da doçura que vemos no seu caçula. E, PQP, a muié é a versão feminina do Dean!rsrsrsrsrs
    ADOREI!!!
    Assim como gostei bastante do “feijão com arroz” que voce citou. Nesse episodio parece que afinaram a sintonia da temporada. Chuck permita que continue assim! Cas e Crowley ja provaram que conseguem ser badass e alivio comico ao mesmo tempo sem cair no ridículo.
    Agora, só eu senti um desejo sincero da Rwena em se manter fora dessa briga? Será que ela quer mesmo só ficar na dela? Duvido…e não só porque ela ofereceu ajuda pra finalizar o tio Lu, que aliás, tambem ta bem interessante na roupa nova.
    A cena final pra mim , deu o tom dessa temporada, que to achando que a não ser por Lucifer, vai pegar mais leve no sobrenatural. E eu to achando é bom! Uma prova a mais de que supernatural, acima de tudo, é sobre Sam e Dean. O resto é detalhe.
    Beijo!

    1. Ana Maria

      “versão feminina do Dean”!!! Adorei isso, Cris.

  3. claricehubert

    Obrigada Cris por ler a minha analise.. achei que tava meio fora de forma… mas o episódio ajudou…

  4. Fabiano

    Sinceramente, não to gostando como supernatural tem tratados os seres mitilógicos e poderossíssimos, a começar pela morte da Morte na temporada anterior, absurdo. Agora o Lúcifer, arcanjo, poderes e inteligência inimagináveis, ser enganado por uma bruxa de 400 anos se n me engano? sendo que lúcifer possui mais de centena de milhares de anos, não tem muita logica… esses seres tinham que ser mais ”respeitados” tanto a Morte quanto lúcifer.

    1. Cris

      Fabiano, na verdade Lucifer sempre “se achou”. O proprio Dean já o enganou uma vez e lhe meteu uma bala na cabeça ( episodio abandon all hope, 5ª temporada), só que não funcionou. To achando que agora vai ser o mesmo: ele só vai demorar um pouquinho mais pra voltar, mas vai voltar puto com a bruxa. Eu de cá vou torcer pra isso! rsrsrsrs

      1. Fabiano

        Sim, concordo com você nesta parte, mas também não da pra esquecer que o Lúcifer é um manipulador nato, porém sua arrogância em certos momentos abrem brexa pra seus fracassos, o que poderia encaixar na história, embora admita que achei exagerado no EP.3 ja acontecer isso. Agora sobre a Morte, essa realmente não posso engolir, o ”Anjo da Morte” , comandante de todos os ceifeiros, ser pode criar terremotos, tsunamis, etc quando bem entender, literalmente ”virar pó” é pisar na própria historia. ainda tenho esperanças que vão voltar atrás.

        1. Cris

          Pois eu, como otimista nata, ainda acho que a morte ta vivinha da silva! rsrsrs
          Não dá pra negar que apesar de sempre querer pôr os meninos em seu devido lugar (principalmente o Dean), Morte se afeiçoou aos meninos já faz tempo. Daí, euzinha fico sonhando que Morte resolveu se afastar pra não interferir ainda mais na ordem natural das coisas, e colocou seu general linha dura Billy) pra lidar com os Winchester. Vou contiuar “sonhando” com essa teoria.
          Abraço!

    2. Morganalu

      Fabiano, foi ótimo vc ter dito isso…porque neste episódio ficou bem nitido (ao menos pra mim) que Lucifer, mesmo com todo poder, é um ano (não arcanjo) e como anjo a programação dele (episódio da torturado Samandriel) ele tem uma programação, a ingenuidade com que ele se comportou com a Rowena é típica do Castiel e dos outros anjos por mais que sejam ruins….Por isso o Crowley dá um banho nele, porque o Crowley já foi humano e este sim é sem limites…
      Quanto ao Morte e a “Chuck” fiquei tão embasbacada quanto vc, porque qual é..o Morte disse que ele ceifaria Deus…ainda to esperando um explicação razoável pra isso

    3. Luisf3979

      faço suas as minhas palavras. Acho ridículo o “nerf” que deram em Lúcifer. Tipo toda dificuldade que foi mostrada na 4 temporada para libertar ele e todo sacrificio que foi na 5 temporada para prende-lo e agora simplesmente uma bruxa pode subjulga-lo e o aprisionar numa jaula praticamente Impenetrável que para inicio de comversa não poderia ser aberta pq deveria ter outro arcanjo la dentro mais os roteiristas comerão miguel com farinha. Falta mais respeito com os seres poderosos nesta nova fase de supernatural

  5. Andréia Pereira

    Gostei muito da sua análise Clarice e concordo com tudo que você disse sobre o Dean e o Sam.
    Eu amo demais o Dean,a minha paixão por ele acabou de completar 10 anos e eu acho que essa foi a primeira vez que o vi sendo egoísta e até mesmo um pouco infantil.Só ele não está a Mary está sofrendo?Tá certo que aquela carinha dele quando a Mary foi embora partiu meu coração,mas não dá pra ignorar o fato de que ele não tá se colocando no lugar da Mary,mas eu tenho certeza que o meu amado Dean vai se corrigir.
    O que eu posso afirmar com toda certeza é que eu estou adorando esse início de temporada,tem alguns furos no roteiro,mas nada que comprometa a história.
    Eu sempre amei a simplicidade da primeira temporada,foi ali que começou o meu caso de amor com a série e eu estou adorando ver essa simplicidade de volta.
    Gostei da nova casca do Lucifer,do Castiel obstinado e só Crowley tentando livrar o lado dele,resumindo,estou bem ansiosa pelo próximo episódio.Abraços pra todos.

  6. Débora Lopes

    Oi Clarice, quanto tempo menina!! Kkkkk. Só que não né!! Kkkkkk. Supernatural é maravilhoso até em trazer pra nossa vida, novas amizades e pessoas queridas. A Clarice é uma delas. Desde a espera por essa temporada, nós que somos malucas por spoilers, estamos conectadas nos Whats’App da vida, advinha falando de quê?? Então, já que o assunto é bom, vamos continuar.Clarice eu comentei que você tinha nas mãos um episódio batata quente!! Mas, você transformou essa batata num purê maravilhoso. Parabéns! Sei que pra muita gente, Mary entrou para a lista dos procurados, por magoarem Sam e Dean e jogar um balde de agua fria nesse relacionamento mãe e filhos.Abalar a estrutura dessa saga que começa com ela e altera tantas vidas. Dizer que isso não aconteceu, seria negligência. Nós mesmas confessamos que fomos às lágrimas, ouvindo aquela porta bater e vendo o episódio terminar mostrando dois adultos totalmente abandonados. Nossa, como foi triste! Aliás, essa temporada tem sido assim em relação aos meninos, dolorosa! O Sam que o diga! Mas… a partir daí a coisa toma outros rumos. E nesse ponto sua análise foi muito feliz: Mary “errou”? Foi precipitada? Muitos acham que sim. Certos ou errados?? Como você disse, não sou eu que vou julgar. Ah… Mais ela foi fraca, não pensou nos filhos… na minha modesta opinião, pensou! Mas nesse contexto, ela só consegue se lembrar dos filhos de trinta e poucos anos atrás. E o que dizer desse mundo tecnológico. Enfim, são tantas as novidades,aliadas ao mundo Sobrenatural que ela tentou escapar, mas que infelizmente, ela se viu sugada por ele novamente. Sentir pena dos meninos, temos todo o direito, mas acho que ainda é cedo para deixarmos de acreditar no amor de mãe da Mary.Como você disse Clarice, o instinto de caçadora continua afiado. Acho que ela encontrará o caminho de volta. E saindo do purê e partindo pro arroz com feijão (somos excelentes Chef), minha reclamação, fica com relação ao tempo gasto com essas histórias.Tomara que não abusem, deixando de lado cenas importantes dos meninos. Gostei do Cass aliado ao Crowley.Gosto do sarcasmo do Crowley. Bem, sempre na torcida por episódios cada vez melhores e consequentemente muita conversa boa entre nós!! Mais uma vez, parabéns Clarice e até qualquer hora. Abraços!!

  7. Andréia Pereira

    Olha eu aqui de novo,concordo tbm com você Débora,tbm né incomodou um pouco o excesso de tempo de cena que deram pra o Castiel,Crowley e Lucifer.
    Gostei da história deles, mas pra mim SPN é Dean e Sam e toda vez que eu vejo outros personagens aparecendo muito e sem eles por perto me incomoda,espero que isso não aconteça muito nessa temporada.

    1. Débora Lopes

      Sabemos que os temas secundários são necessários, mas sou como você Andréia, entre em pânico se Sam e Dean não estão a vista!! Kkkkkkkk

      1. Cris

        rsrsrsrs
        Me põe nessa roda Debora!
        Crise de abstinencia rolando solta por aqui.

        1. Débora Lopes

          Cris, e você precisa pedir menina?? Conversar é comigo mesma. Ainda mais quando o assunto é tão bom!!

  8. Pablo Pimentel

    Boa análise!

    Meus caros, cada vez mais me sinto um Winchester, pô os caras são super mega mtf, mas conseguem imprimir uma carga emocional nas cenas familiares, que vou te dizer. Pena que a Mary tá decepcionando os brothers. Concordo com o amigo acima, a série tá barateando seres misteriosos e poderosos e os apresentando como qualquer coisa.
    É isso meus caros e caras…fazia tempo que eu não dava as caras.
    Um grande abraço à todos.

    1. Débora Lopes

      Pablo, saudade de você por aqui, com seus comentários requintados!! Abraços

      1. Pablo Pimentel

        Obrigado Débora. Grande abraço!

  9. Lule

    Tenho que plagiar você pois também aconteceu comigo: doeu muito ouvi a Mary falar e fazer tudo aquilo mesmo assim achei o episódio perfeito dentro do seu contexto Pra mim Supernatural continua muito bem. Nesse episódio diminuiu os assuntos sem perder a emoção.
    É fato que Mary mudaria a dinâmica entre os meninos.Também sabíamos que isso não duraria muito.
    Não é fácil ver o mundo que você conhece simplesmente não existir mais. Seu marido não estar lá, seus filhos não são os que os que você conhecia. É evidente que ela se sentiria sozinha. Totalmente compreensível. O obstáculo mais evidente é o emocional.
    Sam e Dean também acabaram reféns da situação, como foi com John na primeira temporada, ficaram frágeis com Mary em risco. É claro que jamais escolheriam algo que arriscasse a vida dela. Isso não é bom. Mas quem os criticariam?!
    O conflito emocional aumenta, claro que a situação piora, a gente lamenta mas a ruptura é inevitável.

    Estou me lembrando, na primeira temporada, o Dean disse ao Sam que ele era muito parecido com o pai, então o outro só podia ter puxado pra mãe. O Dean e a Mary são tão parecidos que eu fiquei com pena do Sam. Bem isso é só metade da verdade também vimos que Mary é dotada de muita doçura e isso ela passou pro Sammy. A genética da mulher é boa e foi bem dividida. Mas gargalhei quando no banco de trás, depois de Mary aumentar o som, Sammy olha pra Dean e pra Mary. A carinha de orgulhoso do Dean. Sam olhando pra um e pro outro deve ter pensado: eu tenho duas mães e iguais. Rsrsrs

    Mas a quanto sacrifício esses meninos serão submetidos?!?!?
    Eles sentem tanta dor que nem reagem.
    Cadê o pedido: por favor mãe não vai!!! A gente vai dar um jeito.
    Pra onde Mary vai? Quem ela conhece que possa ajudá-la?
    Será que não teria sobrado uma forcinha pro Castiel amenizar essa sensação de vazio da Mary com relação aos meninos?
    Por que eu não posso entra na obra e simplesmente consolá-los? (tá exagerei foi a empolgação)
    Quanto a Jensen e Jared só o de sempre. Foram demais!
    Como não sufocar com a dor calada e sofrida do Dean e não se emocionar com a dor assustada do Sam?!?!?
    Tive a impressão que o Sammy iria pedir pro Dean: Faz alguma coisa não deixa ela ir!?.
    E o Dean de sentir-se abandonado de novo pois lembrei de quando John não o atendia e ele ficava assustado e se sentindo sem saída.
    Nenhuma dessas perguntas é insatisfação pelo contrário elas me trazem muitas expectativas e certeza de emoção futura.

    Obs: O medinho de hoje ficou por cortesia da Rowena. Que bruxa é aquela? O que é que ela não pode fazer???!!!
    Agora aquela história de desprezar ter libertado Lúcifer do abismo kkkkkk não me convenceu pelo que lembro ela parecia estar gostando. Se ela dissesse que estava arrependida eu até poderia pensar em acreditar. Vamos esperar a próxima batalha e ver o que nos trará.

    1. Débora Lopes

      Lule, sua descrição da dor dos meninos, bateu forte lá no fundo do coração! O abandono ali foi palpável. Os olhares, de dar dó! Jared e Jensen têm se superado a cada episódio. E nem precisa de muito texto pra isso, né? Melhor pra nós, que temos muito o que comentar! A cena do rádio na Baby foi bem legal mesmo.Eu ainda não tinha pensado para onde a Mary pode ter ido. E alguém mais ficou curioso em saber por que o Dean, prestou atenção naquela moto? Beijos…

      1. Lule

        Tá cada vez mais difícil falar “pouco” de Supernatural.
        Sabia que Mary não ficaria com eles por muito tempo e imaginei ela ficando com a Jody mas do jeito que foi não sei onde ela possa ir mas ela é uma Winchester dará um jeito. Só espero que ela não deixe os meninos no silêncio como fez o John por um tempo.
        Também fiquei curiosa sobre a moto. Na hora me lembrei de uma resposta que eu acho que foi do Jensen sobre o final da série(não sei dizer se ele falava sério) que resumindo era: o Sam morria, o Dean (que Baby não nos escute) trocava o impala por uma moto e seguia a estrada.

        1. Cris

          Affff, Lule do céu, quero esse final não!
          Prefiro os tres (baby inclusa) partindo juntos. Seja que estrada for, se é que me entende…

          1. Lule

            Eu entendo perfeitamente e também prefiro Cris. Independente do caminho é claro quero os dois juntos e com Baby.

    2. Ana Maria

      Lule, imaginar o Sam dizendo pro Dean “Faz alguma coisa…”, tem tudo a ver, boa!

      1. Lule

        É mesmo Ana Maria.
        Mas eles ficaram com a versão habitual: calar os sentimentos o que não é tão ruim pois geralmente isso rende ótimos diálogos deles ou algum episódio interessante.

  10. Leonzinho

    Ótima análise Clarice!!! Bem, vou comentar bem pouquinho pois toda euforia pós episódio já passou.
    .
    Gostei muito do caso do bebê. Supernatural consegue ainda surpreender com coisas simples! Gostei mais ainda das interações Mary-Sam-Dean, Crowley-Castiel e Rowena-Lúcifer. Cada um foi um pedaço fundamental para construção de tudo que está por vir.
    .
    Uma coisa que me incomoda são esses personagem que Supernatural abandona “ao mundo”. Exemplos: O Anticristo. Cadê ele? Foi “entender o mundo” e nunca mais voltou.
    O Filho do Crowley. Foi trazido do passado, poupado da morte, descobriu ser o “principe” do inferno, foi “conhecer o mundo” e desapareceu.
    Agora é a vez da Mary. Eu já sabia que ela foi escalada de início como “participação especial”, mas não posso deixar de frisar que ela seria o melhor elemento pra proposta da temporada de abordar a FAMÍLIA.
    .
    Queria que essa temporada não seguisse o caminho da anterior, onde a peça mais importante do plot (Amara) quase não apareceu. Vamos aguardar né!?

    1. Ana Maria

      Leonzinho, se não me engano, disseram na Comic Con que o filho do Crowley irá voltar nesta temporada. Vamos aguardar 😉

  11. Ana Maria

    Clarice, gostei demais do estilo da análise (valeu pela referência à família do-re-mi, super cult!). E os comentários, para variar, dão um show à parte, porque todo mundo observa todos os detalhes (aqui vai um por minha conta: viram a cama extra no quarto do motel?!) e ainda captam o melhor que os personagens tem a nos oferecer. Quem disse “versão feminina do Dean”?…foi perfeito, kkkk. Desde aquele “good talk” do primeiro episódio à curtida do som no impala, Dean deve estar cheio de orgulho de ser a cara da mãe. Também acho que isso deixou o Sam meio tristinho, mas a cara dele assim é tudo de bom ;). Entendi o lado da Mary, sentindo-se perdida e confusa, afinal ela estava no Céu, e agora tem as melhores e as piores lembranças. Tá certo, ela decepcionou os meninos (puxa, nem era ela quem fazia o bolo de carne!) mas também os encheu de admiração pelas habilidades de caçadora e seu instinto de Mom-badass. Já já ela estará de volta, acredito. Olha, eu acho que o dono da moto está seguindo os irmãos. Ah, um tópico à parte…viram a entrevista dos J2 na Popfest, no último fim de semana? Que lindo, eles adoram mesmo o que fazem! Que nem a gente adora assistí-los. Bom estar com vocês, carry on Hunters!

    1. Cris

      Eu! Fui euzinha Ana!!!rsrsrsrs
      O tadinho do Sammy deve ter ficado tipo: ah, não! dois deles? to lascado!
      E acho que voce tem toda razão e achar que o dono da moto os está seguindo. Foi uma coisa bem aleatória o Dean ter notado aquela moto. Como se no estilo de vida deles eles não esbarrassem com varias motos estilosas. Com certeza foi uma cena feita pra chamar a nossa atenção. Ou não, né! No caso da distraída aqui que só foi reparar na moto quando viu a referencia aqui, eu iria passar batido por essa informação. Mas analisando agora, com tudo “mastigadinho”, acho que podemos de repente, esperar pela aparição daquele outro brithsbitch ( de quem é essa?) justamente pilotando essa moto.
      Tambem não consegui ficar com raiva da Mary. Só de imaginar o que ela perdeu me arrepio. E não acho que ela tenha simplesmente batido a porta e tirado um tempo pra si. Na certa,ela ta devastada. E eu ainda acho que essa temporada vai ser dos meninos em busca da mãe como ficaram em busca do John na 1ª; ou quem sabe, a situação se inverte e ela sai em busca dos filhos…? muitas possibilidades nessa temporada.
      E o que eu to gostando mais, é que, pelo menos pra mim, o foco é nos Winchester. Lúcifer, men of the letters, Crowley, Cas, tudinho: são coadjuvantes.
      Acho que não vai ser uma temporada com um vilão memorável (detestável sim. Afinal não dá pra engolir a chatoni). Perigoso, com certeza, ja que apelaram pra tortura com uma amadora, imagina com o fodão que chamaram. Mas acho que a bola da vez é mesmo a família. E cá pra nós, acho que não pode haver plot melhor que episodios e mais episodios de Sam e Dean.
      Beijinhos!!

      1. Débora Lopes

        Oi Ana, tudo bem? Nesses acontecimentos todos da partida súbita da Mary, quando ela disse aos meninos, que quanto mais ficava com eles, mais ela se lembrava do tempo que tinha perdido com o baby Sam e o litlle boy Dean, foi algo que pegou fundo. Ali, deu pra sentir, pelo menos pra mim, o quanto ela estava perdida. E mesmo morrendo de pena dos meninos, não consegui sentir raiva dela e sim uma tristeza profunda. Acho, acho não, tenho certeza, esse relacionamento ainda vai engrenar. Eu assisti a Popfest. Mesmo sem legenda. Eles estavam lindos, leves e soltos. Foi mesmo bem legal. Vamos aguardar o que vem por aí. De moto ou não!! Abraços Ana.

  12. Luciana

    é, eu lamentei por Sam e Dean pela escolha da Mary.. mas eu não consegui ficar com raiva dela.. eu realmente entendi suas razões.. o mundo que ela conhecia simplesmente não existe mais.. e foi de um dia para o outro.. já que ela não viu passar esses 33 anos..

  13. s

    BEM VINDA CLAU… Hehehehe comemorando sua volta aqui, quem sabe terremos o retorno de todas as girlsPowerful em um podcast especial de fim de ano. Precisamos de pessoas que como você, sabem do que estão falando.

    Antes de ler sua analise confesso que tinha uma opinião não muito boa a respeito de Mary neste episódio. Agora deu até engolir kkkkk

    Sabe que muito disto que penso,foi motivado pelo que vi recentes no primeiro e segundo. Achei Mary vaga,sem graça e com nenhuma vontade de se inteirar com a vida dos filhos, e quando fez, parecia não gostar nada de esta lá.Tipo sua mente perturbada a perseguiu pelo passado assombroso. Mas queria o que? Foi ela que começou tudo. kkk Mas dai lembrei que ela esta de volta contra vontade.

    O caso é que Amarra fingiu ser boazinha,na real ela recuperou seu irmão para mante-lo em seu poder.E apenas trouxe Mary pra pagar todos pecados que cometeu no passado contra os filho. kkk

    VEJA que bem Mary fez ao Dean? kkkk Só de ver a tristeza dele quando ela disse que queria um tempo ,foi de cortar o coração.

    Acredito que ele teve este mesmo comportamento quando Sam disse que partiria para Stanford. Coitado tão carente de afeto, pareceu um menininho abandonado no escuro.Embora fosse um tanto quanto exagerado, afinal ele é um adulto.

    =

    Já Sam bem mais maduro ,parecer compreender melhor seu ponto de vista. Ainda que foi triste, pois não deram um texto pra a expor seus pensamentos,mas seus olhar deixam claro que ele esta a favor do famigerado tempo. Dai sobra motivo para minhas criticas, pois acredito que Sam tem muito a falar com Mary sobre o passado… Apesar do braço com chazinho ter sido bonitinho …Foi muito vazio no decorrer. Talvez estejam guardando para mais tarde…
    ==

    Melhor é si conformar pois parece que ficaremos sem os caso de bate boca da family Winchester …

    Claro eu entendo este afastamento, já que foi inventado para que Sam e Dean pudessem prosseguir com seus casinhos e de vez em quando encontrar com Toni e os indesejáveis homens das letras. Deste modo tbm o arco Lúcifer ficou a cabo totalmente de Cassss e Crowley Rowena. Ficou até divertido. Mas o diabo pra mim esta longe de ser o tal senhor de todo mal do apocalipse que eu imaginei.

    Clarice continue escrevendo. Amei sua analise , espero que haja mas debates pra que tenhamos uma nova chama ardente por este plot. BEIJOSSSSSSSS

  14. KKKK Gente não saiu meu nome direito…KKKK Foi eu viu que escrevi kkkk E não é braço , é abraço.kkk Foda que injusto, não tem como editar kkkk

    1. Não sei o que aconteceu, mas sumiu meu comentário.

  15. claricehubert

    A todos – obrigada pelos comentários… realmente foi muito bom voltar a fazer analises… espero poder fazer isso mais vezes nessa temporada…

    E o que escrevi sobre a Mary é o que sinto, ela tem que se dar um tempo, pq não esta brincadeira o que ela passou… mas vamos ver como a temporada se desenvolve e quem é o dono da moto que aparece no epi… Algum palpite gente!!!

    Novamente obrigada a todos…

  16. Lani

    Alguém sabe me dizer quais foram as audiências dos epis 2 e 3? Sei que do primeiro foi mto boa, mas dos outros eu não sei. Alguém sabe?

    1. Débora Lopes

      Oi Lani!! Tudo bem? Com relação a audiência, esses números vi no facebook:
      estreia:- 2.18 milhões de espectadores;
      12×02:- 1.61 milhões e o episódio 12×3: 1.75 milhões. Por favor, corrijam se estiver incorreto, mas a página é boa.Acho que pode confiar.Pelo menos a nossa audiência é garantida!! kkkkkkk
      beijos!!

      1. Lani

        Débora, muito obrigada pela informação. Então estamos mto bem de audiência né? Não entendo mto bem disso.

  17. Pablo Pimentel

    Again… não queria me manifestar mais profundamente sobre o assunto, mas vamos lá: A aparição da Mary no primeiro epi foi realmente epic, no entanto, contudo, todavia, entretanto, ver o Dean e o Cas tomando um coro daquela mercenária britânica, foi no mínimo peculiar, para não dizer coisa bem pior. Acho que em determinados momentos, em nome do roteiro, eles acabam deixando sem sentido. A introdução do MenofLetters british como prováveis antagônicos dos brothers, não sei não, não tá colando na minha opinião, embora eu esteja bem interessante algumas personagens, como o Mick. Outro aspecto que venho aguardando há um bom tempo, a volta dos poderes do Cas. Pô era pedir demais que godweak Chuck recobrasse os poderes do Cas e, quem sabe até, aumentasse os poderes dele, para apimentar mais um pouco a participação dele na série. Poxa, depois de perder a marca de Caim, Dean voltou a ser um mero caçador bonzinho. Cara, como eu apreciei aquele Dean malvado motherfucker do finalzinho da 10ª temp, aquele Dean que exterminou sozinho com a família Frankenstein/Styne. Episódios de Fantasminhas não dá mais, pelo amor do Divino. Lúcifer meia boca e inofensivo também não cola, poxa, os caras fizeram 5 temporadas só para contar toda história que os Winchester tinham com o apocalipse e tals e a libertação do Luci da jaula, e agora o cara saiu da jaula e se tornou o vilão-bundão do momento. E para fechar meus amigos, eu me senti rejeitado pelo Sam e pelo Dean no último, muito mais pelo Dean, porque me identifico pacas com o modo dele lidar com as coisas, como a cena em que a Mary se aproxima dele para se despedir e ele se afasta nitidamente destruído por dentro pela situação inesperada. Nessa hora senti a rejeição junto com eles. Mas é isso, pelo que entendi do que andei vendo, Supernatural terá uma 13ª temporada. To ansioso para vê-los contando sobre o pai adotivo Bobbi para a Maechester.
    Grande abraço…desculpem a empolgação e ter escrito de mais.

    1. Lani

      ótimos pontos pablo! Aguardemos.

      1. Pablo Pimentel

        Valeu Lani. Abraço.

Leave a Comment