[Análise Hunter] 12×12 – Stuck In The Middle (With You)

O que aconteceu com a Colt?

Sério, não lembro. Assim como não lembro a quantas anda a Graça do Castiel, assim como não lembro (juro, podem me enforcar em praça pública!) o que aconteceu com o Metatron. Sabe aquelas histórias que vão se desenvolvendo, mas depois param de desenvolver e você nem se liga? A da Colt foi uma dessas. Tive que cavar nos confins da internet (não fui tão fundo assim) pra saber que fim ela tinha levado até seu recente triunfal retorno, mas nós chegaremos lá. Por enquanto, e antes de adentrar o episódio em si, tenho dois questionamentos muito pertinentes:

1 – a Colt brilha? Imagine você abrindo a caixa com o segredo do universo dentro. Ela se ilumina e se ouvem os cânticos dos anjos! Mas era só a Colt. Precisava disso tudo?

2 – digo “só a Colt”, mas tem a ver com minha próxima pergunta: ela é, mesmo, tão essencial assim, nessa altura do campeonato? Pensem comigo, de 12 anos pra cá nossos heróis vêm descobrindo novas armas e manhas e aprimorando o que já conheciam. Sabem o exorcismo sem precisar ler do diário; aprenderam a aprisionar demônios com balas entalhadas com armadilhas; até a faquinha dos anjos serve pra matar demônios (e quem me conhece sabe que eu não engoli essa até hoje). Se é assim com eles, o que podemos dizer dos HdLs, que têm séculos de artimanhas e truques guardados na manga, mandingas pra todas as ocasiões? Imagino que queiram a Colt só pra inventário… haha Não vou mentir, gostei do retorno da Arma Suprema (inventei isso agora), mas, nos dias de hoje, questiono um pouco sua funcionalidade…

Bom, questionamentos feitos, sigamos com a análise do episódio que, a meu ver, apesar de algumas coisinhas, foi bem bom, e eu volto a falar da Colt quando for o tempo dela.

O 12º episódio da 12ª temporada foi dirigido por nosso Trickster Richard Speight Jr e foi uma clara referência a com certeza algum filme que eu não assisti e, por isso, não entendi a referência e tive que pesquisar pra saber Cães de Aluguel, filme dirigido por Quentin Tarantino, de 1993.

Eu, particularmente, gostei da estrutura de flashbacks. Achei que deu uma dinâmica bem diferenciada ao episódio, foi muito bacana de ver. Apesar disso, pra preservar a linearidade deste texto (e quem lê meus textos sabe que eu raramente consigo ser linear!), vou comentar na ordem cronológica dos acontecimentos (ou o mais cronologicamente que eu conseguir!).

MOTHER MARY

Tudo começou quando Mary resolveu dar ouvidos ao que os Homens das Letras tinham a dizer e aceitou uma “missão”, no mínimo obscura, deles: recuperar ~alguma coisa~ da casa de ~alguém~. Não sei se a Mary confia demais no próprio taco, se está maquinando alguma coisa contra os HdLs (e é por isso que está trabalhando com eles) ou se só foi tapada, mesmo, mas como assim ela entra de cabeça num trabalho sem saber bem com o quê está lidando? Ainda mais ela, caçadora de nascença!? Pois lá foi ela, e levou junto um ~bode expiatório~ (que nunca caçou um demônio na vida, inclusive) porque sabia que os filhos não iriam questionar a caçada. Pergunta: em que ponto estamos que uma mãe não pode fazer uma caçada e chamar os filhos pra ajudar porque eles vão questionar a situação? Tem algo me incomodando aí. Desde que voltou, Mary tem estado empenhada em ser caçadora demais e em ser mãe de menos, a ponto de estar evitando contar coisas pros filhos, a ponto de o motivo disso ser o fato de que ela está trabalhando com o pessoal que – bem lembrado, Dean! – tentou matar o filho mais novo dela. Será que a Mary não pode ser caçadora e mãe ao mesmo tempo? Desde o começo da temporada (acho, inclusive, que já disse isso aqui) eu a venho defendendo, que ela precisa de espaço, que precisa entender o que está acontecendo, que é tudo muito confuso, por isso o comportamento meio off dela… mas já deu, né? Ela tá mais do que bem estabelecida, já entendeu o mundo, já sabe até usar um touchscreen. Tá na cara que existe um motivo bizarro pra forma como ela está agindo… ou só desenvolveram mal o personagem. De qualquer forma, já está passando da hora de darem um direcionamento que mostre o porquê de tudo isso, ou então o retorno dela será o maior flop de todos os tempos.

THE WOUNDED ANGEL

Então, Mary chama o shamu os meninos e eles vêm em auxílio, assim como Castiel. Castiel chega num carro separado, o que significa que ele não estava com os irmãos, o que significa que ele ainda está atrás da mãe do filho do capeta. O que significa que, sigilos nas costelas ou não, o fato é que o GPS dele está, de fato, quebrado.

Apesar disso, e de eu ainda não entender o que ele consegue fazer ou não, gosto de vê-lo como estava na lanchonete. Aquele anjo confuso, que não entende dicas e figuras de linguagem, quase ingênuo. Essa é a Graça do Castiel (mas, se ele ainda tivesse os poderes inteiros, não acharia ruim…). Inclusive, a cara de “?” que ele fez pra garçonete é igual à de Bonnie quando ofereço comida pra ela:

(Bonnie é minha buldogue.)

Achei a sequência da lanchonete deslocada e legal ao mesmo tempo hahaha deslocada apenas porque sim, toda a aulinha sobre garçonetes e flertes ficou meio nhé… mas ri dela hahaha deles todos falando ao mesmo tempo, Sam questionando Dean, até Mary dar um basta no “papo de homem” e abrir a discussão.

Já na casa do demônio pescador, Mary dá um perdidão e desce no porão em busca do que quer que ela tenha ido buscar lá. Desceu, achou, pegou, saiu. Aí eu me pergunto se precisava montar essa operação do BOPE toda pra isso. O homem fica 45 minutos fora, ela levou 2 minutos pra pegar o que queria. Ainda dava tempo dela sentar e ver dois episódios de How I Met Your Mother antes dele voltar! Ok, talvez não fosse tão fácil assim… mas, sei lá… acho que Mary e o Bode Expiatório poderiam dar conta do recado sozinhos. Aliás, falando dele…

ONDE ESTÁ O WALLY?

MORTO.

Bichinho, não queria fazer isso, tava com o maior cagaço e acabou morto, parece que esses “extras” só vêm pra morrer! E eu gostei dele. Entrosou bem, ajudou Dean a dar conselhos amorosos ao Cas e, apesar de ter perecido, fez bem seu trabalho. Mas eu gostei dele mais porque o fato de ele ser praticamente um noob no quesito ‘demônios’ me lembrou aquela época em que mexer com demônio era coisa “pesada”… aah, os velhos tempos!

A ESPADA ERA A LEI

Armadilhas prontas, armas em punho, era só esperar o dono da casa aparecer. Eles só não contavam que ele não morreria tão fácil. Quando, durante a luta, o dito mostrou os olhões amarelos e disse cumprimentou a Mary, eu quase caí da cadeira! É LÓGICO que não poderia ser o Azazel, ele morreu e continua morto, não tem como trazê-lo de volta (creio eu). Mas, ao mesmo tempo, E L E C O N H E C E E L A A A A A ! ! ! Eu não sabia o que pensar. Enquanto eu matutava, ele foi e esfaqueou Castiel com aquela “coisa”, que eles levaram 30 minutos de episódio pra descobrir o que era e eu já tinha deduzido desde que apareceu: a Lança de Miguel. Quando ele a pegou, de cara, eu já pensei que poderia ser! Ponto pra mim hahahaha item digno e indispensável pra quem se diz colecionador de armas!

Todo o angst de Castiel com aquele ferimento incurável me fez pensar se, dessa vez, ele abotoaria o sobretudo. Foi agoniante vê-lo sofrer daquela forma, mas mais ainda foi aquela “despedida”. Ele sabia que era o fim da linha pra ele, então, o que restava agora era agradecer e manda-los sumir dali antes que acabassem mortos.

OS HOMENS INVISÍVEIS

Alguém viu Sam e Dean por aí? Porque, pra mim, eles passaram bem despercebidos… as falas mais relevantes dos dois foram “elas cheiram a comida” e “qual é a senha do wifi?”.

A mim pareceu que Sam e Dean, os protagonistas dessa história, foram os secundários, aqueles caçadores que aparecem em um episódio caçando, pedindo ajuda ou ajudando, e morrem no final. Aliás, foi exatamente esse o papel que eles desempenharam: “os caçadores que vêm ajudar”. Tanto é que a única coisa que tenho pra falar deles é da dinâmica entre eles e a mãe.

Fui só eu que tive a impressão que eles não sabiam como agir com ela? Ao encontrarem-se ninguém se abraçou, ninguém apertou as mãos, não teve nem sorrisinho nem aceno de cabeça. É como se eles estivessem agindo com muita cautela, como se ela fosse (acaba que não deixa de ser…) uma conhecida desconhecida, aquela tia que mora do outro lado do país e você só vê a cada 5 anos, e você sabe que tem que amar, mas é tudo muito estranho quando você vai passar as férias na casa dela? Mas ela não é tia. E, considerando que a distância entre eles era a morte, eu diria que ela não está mais tão longe assim. E eu tive a impressão de que eles agem assim porque ela não dá abertura, é ela que não estende a mão. Reparem na frieza da cena em que Sam pergunta se ela está bem, porque caçar não era uma vida que ela queria… e ela só responde “a gente não pode ter tudo na vida”.

*balde de gelo na cara*

Fora isso, a participação deles se resumiu a comer, lutar, preocupar-se com Castiel e ouvir a historinha do…

MR. CROWLEY

Crowley?

A última pessoa que pensei que fosse aparecer no episódio era o Crowley! Hahahaha

E ele já chegou botando banca, dá pra ver claramente que ele está desesperado, com medo, até.

Adorei muito a história dele, principalmente por me remeter a 6 anos atrás e me fazer lembrar coisas da 5ª temporada! Talvez tenha sido por isso que eu confundi as coisas e esqueci que Crowley havia se declarado Rei do Inferno só na sexta… u.u mas não só lembrar, me fez ir lá na minha estante, pegar os DVDs e rever algumas cenas pra ter certeza! (Pronto, agora quero maratonar a série inteira…)

O fato é que agora pudemos ver como essa coroação aconteceu! O próximo no trono por direito recusa e outro assume seu lugar por maioria de votos (no caso, maioria de um votante… hahaha)! Mas o mais surpreendente era que Crowley, todo cheio de si que só ele, estava em dúvidas! Tipo “será que eu dou conta?” hahahahahahaha achei engraçado, porque a reação que se esperaria dele, ainda mais considerando a forma como ele enchia a boca quando contava que agora era o Rei do Inferno, era de que aceitasse antes do Ramiel terminar a frase! Crowley… nunca para de surpreender…

E aí, o motivo do desespero de Crowley se revela: fica com o trono, é todo seu. Mas se alguém vier encher meu saco, em qualquer momento da vida, estando ligado a você ou não, é a sua cabeça que rola. Bacanas essas condições!

E então, mesmo com sua cabeça em jogo, Crowley resolve se arriscar pra ajudar aquela trupe. Está mais que evidente que Crowley mudou muito e não é mais, não por inteiro, aquele que “faz pactos com gente que pode usar”. Querendo ou não, talvez até um pouco a contragosto, ele se preocupa com os irmãos e o anjo, mesmo dizendo que só os mantém por perto porque eles são recursos “úteis”. Pode até ser que sejam… mas não é só por isso, não!

Infelizmente, falar com amor sobre os irmãos não impediu Ramiel de jogar Crowley pelos ares, e eu devo confessar que ri da cena! Hehehe De certa forma, eu até entendo o homem, coitado. Ele é um demonão maléfico e destruidor, mas só quer ficar quieto no canto dele. Tá pouco se lixando, tá todo de boas pescando os peixinhos dele, aí vem alguém lhe perturbar a paz e roubar do arsenal dele? Até eu ficaria puta!

Quando ele mencionou o furto e deu 30 segundos pra eles devolverem, achei mesmo que Mary acabaria confessando, pra impedir que os filhos morressem. Não que eu ache que ele fosse realmente pegar de volta e deixar por isso mesmo, mas diante do desespero, e se fossem meus filhos ali jurados de morte por algo que eu fiz, eu acreditaria e faria o que ele mandasse… o que eu não gostei mesmo foi que lá no final, quando Cas pergunta, é que ela cogita falar. Se ela falasse, ooh… ia dar uma treta…

Estrago feito, segue a cena de ação, que foi quando eu ri do Dean usando uma pá pra se defender… e também vibrei quando Sam deu uns olé no moço e conseguiu virar sua própria espada contra ele, com direito a cabelo esvoaçante ainda! É como diria nosso querido diretor:

“Quem diz que Dean é o disfuncional…
… é porque nunca viu você…
… com um objeto afiado nas mãos”*

*Fala do Trickster em Mystery Spot (3×11)

Aaah, e não vamos esquecer uma coisa que o Amarelão aí falou antes de morrer… ele tem ainda dois irmãos andando por aí, e a irmã está “interessada” na história do filho de Lúcifer… vem coisa aí? Boa? É só o que eu espero…

Bom, terminada a ação, é hora de voltar ao drama. Quem diria que Crowley seria quem acabaria salvando a vida de Castiel… ri da cara de desentendido dele, como quem diz “ó, quebrou…” e fiquei com a mesma cara de surpresa dos outros quatro!

SURPRISE, MOTHERF*****!

Rodamos e rodamos e voltamos ao nosso primeiro assunto: a Colt. E não é que era ela o grande mistério do episódio? O motivo de ter dado toda essa confusão, do coitado do Wally ter morrido? Fiquei de boca aberta. E depois me peguei pensando: “mas como foi que Crowley conseguiu pegar essa arma??” Então eu pesquisei e tudo ficou claro. Minha memória às vezes parece que funciona por senhas ou palavras-chave: pra acessar uma lembrança inteira, basta falar uma palavra ou frase. Então eu li algumas e lembrei que (sigam-me no flashback) a última vez que Sam e Dean veem a Colt foi quando Bela roubou deles, lá na 3ª temporada. Na 5ª Becky diz a eles que ela a entregou a um demônio chamado Crowley que, na mesma temporada, a entrega a Sam e Dean para que matem o Diabo, o que não dá certo. Dean larga a Colt por aí e Crowley pega de volta, mas DISSO A GENTE NÃO SABIA ATÉ HOJÊÊ! A arma estava com Crowley e, quando Lúcifer é aprisionado na jaula, no fim da 5ª temporada, ele a leva até o Ramiel, que a manteve guardadinha, ironicamente ou não, atrás de um quadro de Miguel matando o capeta. GE NI AL.

Agora, Mary ficou 200% putaça com o moço das letras lá. Será que ela ainda não entendeu que, pra eles, caçadores são um recurso válido, mas descartável? Vocês fazem o serviço sujo, porque nós somos os inteligentes aqui. Se a gente errar, você morre, mas tem outros por aí. Abre teu olho, mãezona.

Ah, e aproveitando que estamos falando de Colt e Mary:

E chegamos à grande surpresa do episódio! Ok, talvez não tão grande, afinal, quem prestou bem atenção, percebeu que Lúcifer tinha escapado daquele quarto de hotel quando Sam tentou derrotá-lo com aquele ovo de ouro. Mas o que eu nunca ia imaginar é que ele iria acabar como prisioneiro de Crowley! Crowley este, inclusive, que está louco pra colocar as mãos naquela arma. Pra quê? Nem ideia. Ele nunca precisou dela até hoje… o que me faz pensar se o filho de Lúcifer estaria entre a “qualquer coisa” que essa arma mata ou seria uma das cinco exceções… Estou ansiosa pelos próximos capítulos dessa história! É bom a gente ficar de olhos bem abertos!

 

Salvar

Related posts

22 thoughts on “[Análise Hunter] 12×12 – Stuck In The Middle (With You)

  1. Gostei bastante da sua AH. Bem explicadinha, passo a passo. E antes que eu continue, o Metatron morreu pelas mãos da Amara (graças). Lá pelo final da S11.
    Mas falando no episódio, estou rezando para que a Mary pare de fazer tanta besteira. Como você bem lembrou ela parece que está “em outro planeta”, sei lá. Ela não age como se fosse uma mãe carinhosa que durante toda a vida os Winchester imaginaram e até honraram. Se não tiver uma explicação MUITO BOA para isso creio que talvez seja a maior burrada de SPN até hoje. Pois, a Mary sempre foi a raiz da série, ela é, e sempre foi a inspiração para o que os meninos são hoje, e simplesmente ela agir como se não tivesse nenhuma experiência chega a irritar. E bem lembrado as cenas que eles “não estavam interagindo”. Na hora que o Castiel estava lá literalmente derretendo os três ficaram completamente estáticos, como se tivessem vendo a final de um jogo de basquete. E mais ainda como bem você lembrou, como a Mary vai acreditar justamente nos HDLs que tentaram matar seus filhos? Nessa altura do campeonato eu não sei se é melhor imaginar uma Mary sem alma como foi o caso do Sam lá pela S6 (eu acho) ou imaginar que isso é uma falha de roteiro ou pior ainda, que a atriz Samantha Smith é ruim mesmo. E vamos para o próximo.

  2. wellington alexandre

    Episodio muito bom levantou duvidas e deixou alguns pontos sem nó esperem que vem coisa por ai com a colt. muito punk o episodio!

  3. Andréia Pereira

    Muito boa a sua análise Lu,gostei muito jeito que o episódio foi dirigido e tbm fiquei “WTF”em vários momentos.
    Diferentemente de vc,não sei por onde começo a falar.
    Vou falar da Mary.
    Eu defendi a personagem desde o início,mas agora pra mim não tem mais como defende -lá.
    Mesmo que Dean e Sam estavam mais pra coadjuvantes nesse episódio,eu enxerguei a história direcionada pra eles.
    Vou explicar.
    Imagina daqui uns episódios quando eles descobrirem que a amada mãe deles ia deixar eles morrerem praticamente por nada.
    Eu tbm não me lembrava mais da Colt,os roteiristas da nossa amada série volta e meia fazem essa m***a.
    Criam um fato depois o esquece e aí um belo dia eles jogam de novo na história.
    Tentam fazer a gente engolir,e no geral,o resultado é questionável.
    A Mary pra tbm está sendo uma icognica.
    Concordo com vc,eu tbm sei se são os roteiristas que não sabem o que fazer com ela,se é atriz que não está dando conta do recado,se a Mary não é a Mary,o que eu sei,pra mim depois do que ela fez nesse episódio,eu já tô colocando ela ao lado do pai dela, o insuportável Samuel Campbell da sexta temporada,que não servia pra nada a não ser deixar os fãs enfurecidos,a temporada era totalmente sei lá e ele contribui muito negativamente.
    É um desabafo gente.
    Como eu disse,gostei muito do episódio,mas a conduta da Mary me chocou.
    Espero que os roteiristas saibam o que estão fazendo (o problema é de vez em quando eles não sabem!!!!!!)e que no fim esse comportamento desprezível da Mary com os seus filhos seja esclarecido.
    Abraços e beijos pra todos.

    1. Lu Pires

      Pois é, né, Andréia! Os escritores vivem voltando com coisas (ou pessoas) que a gente nem lembrava mais que existia! hahaha Desde que a colt sumiu ninguém nunca mais falou dela, ninguém nem questionou onde estava, e o tempo foi passando e ela caiu no esquecimento! Tomara que ela tenha voltado pra dar um gás na série, que, até poucos episódios atrás, tava andando meio lentinha… hehehehe

      E sim, eles têm que ter uma desculpa muito, muito boa pra explicar a Mary. E logo, faz favor!! haha

      Obrigada por comentar! =*

  4. Andréia Pereira

    Acabei falando só da Mary,mas o episódio foi muito mais que isso.
    É engraçado que eu acertei o diretor do filme ao qual o episódio fez referência,mas errei o filme.
    Pra mim,a trilha sonora me lembrou o Kill Bill.
    Não me perdi durante o episódio e isso é o que importa.
    Parece que a caçada a Lucifer é mesmo o plot dessa temporada e gostei de ve-lo no fim do episódio.
    Tomara que venha coisa boa por aí.

  5. Débora Lopes

    Olá! Esperar pela análise é tão emocionante quanto esperar pelo episódio inédito. Vocês complementam o episódio de uma maneira incrível! Parabéns Lu!!
    E eu gostei muito desse! Já confesso aqui minha ignorância em relação aos filmes do Tarantino. Mas gostei muito da maneira que o Richard dirigiu o episódio. As idas e vindas no tempo cronometrado, deram um movimento muito interessante ao episódio. Gostei mesmo. E diante do sua análise Lu, não me resta muito a dizer. Achei a trama bem arramada. Muito legal a cena do Ramiel “puxando” a espada, o desenrolar da história do Crowley. A descoberta de mais príncipes do inferno. A quase partida do Cass dessa prá melhor. Rolou um certo “nojinho” daquela meleca escura. A participação relâmpago do Wally. O golpe de judô/caratê/capoeira/etc… com cabelo esvoaçante (adorei Lu) do Sam, prá cima do zoião amarelo – que virou pó!! Adorei!! Crowley salvando o Cass e a volta do tio Lú! Único e original. Veremos o que virá por aí!! E não!! Eu não esqueci o assunto Mary!! Estou muito triste!! Já fiz a defesa em favor dela nos episódios anteriores. Fiz mesmo!! Mas…. o amor materno não vai aflorar?? Já começo a pensar que os meninos já estão sofrendo muito mais com ela presente! Nem um gesto de carinho, uma palavrinha mais docê! Deixou o Sam no vácuo com aquela resposta fria a respeito da vida. A aliança com os Homens de Letras. A omissão que ela estava com o que tinha sido tirado do Ramiel. A entrega da Colt. Tá bom, ela deu um chega prá lá no Mr.Britânico, mas a verdade é que eles não estão nem aí para os meninos. Então é bom ela tomar cuidado. Vamos ver… tomara que meus sentimentos em relação a ela melhorem. Fico torcendo!! Do mais… foi sim – prá mim – um bom episódio. Já assisti mais que uma vez. E vamos lá, continuo sempre ansiosa pela espera do próximo episódio e das conversas por aqui!! Mais uma vez: parabéns Lu!! Beijos a todos!!

    1. Débora Lopes

      Nossa: arramada. AMARRADA. Desculpem!!

    2. Lu Pires

      ^^ obrigada, Débora!
      E não, eu nunca vou perder um oportunidade de mencionar os cabelos do Sam quando ela aparece… kkkkkkkkkkkkkkk beijos!!!

  6. Odair José Galdino

    Olá a todos! Eu também gostei do episódio. Quanto a Mary, sinceramente, não sei muito o que dizer. Em relação ao Lúcifer, se ele realmente vai ter alguma participação importante nessa temporada (além da que já teve nos primeiros episódios) eu espero que seja algo que vá nos surpreender. Não precisa de algo necessariamente novo, porque acho isso muito difícil, mas que ele venha pelo menos com um bom plano ( quero dizer um plano bem pensado, mas que claro, será um plano maligno), que eu suponho, iria envolver o seu filho. Espero que consertem a tal lança, se possível, para que quem sabe possa ser usada mais adiante, pois quanto mais armas melhor. Agora gostaria de expor um desejo pessoal, eu gostaria que as leis naturais fossem mais exploradas até o fim da série. Particularmente eu gostaria que os rapazes tivessem que lidar em uma temporada com um mal que não fosse personificado, sei que isso é difícil e que normalmente é preferível que se personifique, mas não acho que seja impossível. Gostaria que, por exemplo, eles tivessem que lidar com algo similar às consequências de que a Billie falou, e que eles tivessem que descobrir algo que precisariam fazer para evitar algum tipo de catástrofe na ordem natural do universo. Mais uma coisinha, será que se o Castiel morresse Deus o traria de volta ainda, ou será que já acabaram as chances dele? Era isso, um abraço a todos!

    1. Lu Pires

      Oi, Odair! Obrigada pelo comentário!
      Penso o mesmo que vc: gostaria que Lúcifer voltasse com tudo, com um plano maníaco nível extremo, que é pra dar bastante trabalho e a gente não sentir que as coisas são resolvidas bem “fácil”, como vem acontecendo de uns tempos pra cá. E sim, também gostaria que dessem um jeito de consertar a lança, porque ELA SIM seria uma arma boa e útil, E tomara que dê bastante trabalho pra consertá-la também, que é pro negócio ficar mais emocionante! hahaahhaha

      Sobre Castiel, sei não, hein… acho que, se ele fosse, iria continuar lá… hehehe um abraço!

  7. Euri

    Adorei o episódio. Aliás, os últimos três foram ótimos. E Lu, confesso também que não lembrava mais do que tinha acontecido com o Colt. Pra mim tava com os garotos no bunker. Essa coisa com os príncipes do inferno parece promissora e é ótimo ver um roteirista mexendo com a história de Supernatural sem fazer alguma besteira ou contrariar tudo o que a gente conhece da série.
    E se alguém aí quer saber, pra mim os homens de letras britânicos são uma espécie de S.H.I.E.L.D, que foi infiltrada pela Hydra e nem percebeu que tava trabalhando para o inimigo até ser tarde demais. Algum demônio poderoso tomou o poder lá na terra da rainha e ninguém percebeu.
    A situação da Mary não me surpreende. Os Winchesters adoram guardar um segredo e não vamos esquecer que foi ela quem fez o pacto com o Azazel. E manteve segredo de toda a vida dela do próprio marido. Isso só mostra o padrão que ela segue quando se trata de “proteger” quem ela ama. É claro que isso não vai acabar bem. Acho que ela pode estar tentando proteger os garotos de um grande mal ou talvez planejando alguma ação para o “bem maior”. Só tenho medo de que ela esteja planejando recuperar a família que perdeu, fazendo um pacto pra voltar no tempo ou coisa parecida. Maia alguém lembra de tudo o que o Samuel fez pra recuperar a família???
    E o Crowley? Talvez o Sam e o Dean consigam afinal fechar as portas do inferno. Só falta terminar de transformar um demônio em humano, certo? Ele já tem uma mãe, um filho e um anjo que já é praticamente um amigo. O que mais tá faltando pro feitiço fazer efeito?
    Por falar em amigos, vocês já repararam que o Sam e o Dean estabeleceram ótimas relações com algumas das principais figuras monstruosas: um demônio que é rei do inferno; um vampiro que tá lá no purgatório, mas ainda conta; uma bruxa poderosa que aparece quando os garotos precisam; tem o Garth que é um lobisomem ; e um anjo que faz parte da família; a Irma de Deus que se apaixonou pelo Dean; e acho que é capaz do Lúcifer terminar os dias ajudando os garotos. Fora o Garth, todos foram ou estão sendo meio que convertidos para o lado bom da força.

    1. Lu Pires

      Oi, Euri! Adorei a comparação com a SHIELD hahahahaha não duvidaria muito que isso estivesse acontecido, mas esses HdLd britânicos me pareceram meio obscuros desde sempre… acho que pior do que pensar que eles são “maus” por causa de um demônio os controlando é pensar que são assim por natureza, mesmo… kkkkkkkk

      Sobre as intenções da Mary, apesar de bem estar puta com ela, eu confesso que fico imaginando se ela não tá mesmo planejando algo contra eles… agora, essa teoria de ela querer fazer algo que traga a família de volta é bem interessante! Embora eu ache que, se ela conseguisse, os irmãos não iam gostar de qualquer forma… =|

      Sobre Crowley e os “monstros bons”: os portões do inferno é outro plot “inacabado” que deixaram pra trás. Sua teoria é boa e, se os roteiristas mantiverem o padrão de retomar coisas inacabadas das quais ninguém se lembra mais, capaz deles voltarem com essa tb… talvez não agora ou num futuro próximo, mas quem sabe…? E eu não gosto de vilões que “ficam bons”. A Amara, por exemplo, virou uma aguinha com açúcar muito blé haha. O Crowley pode ter demonstrado preocupação com eles e ter ajudado várias vezes, mas ele ainda é um filho da puta hahaha sei lá, acho que tem vilão que pode se regenerar, mas tem uns que são feitos pra maldade e, por mim, continuariam por lá! kkkkkk beijos!!!

  8. cris

    Nossa! Ainda to meio perdida na “casa nova”. Só vim achar essa analise hoje! rsrsrs
    W que analise! Muito bem feita Lu. Acho que esse episódio , pelo menos por enquanto, é unanime. Caiu no nosso gosto. Tirando as atitudes da Mary, que eu acho que vai acabar conseguindo a passagem de volta pra seja la onde ela esteve esses anos todos, não tem muito o que questionar no episodio não.
    Aquela conversa meio doida na mesa do bar foi de fazer rir mesmo! Gostei bastante da sequencia e principalmente da cara de Bonnie, quer dizer, perdido, do Cas. Desse anjo é que eu tenho saudade. Mas tambem acho que ele podia estar com os poderes em dia.Quanto aos cabelos esvoaçantes do Sam, a lança de Miguel ( que eu tambem saquei na hora!), Cas se despedindo e Crowley salvando o dia:Perfeito!
    Tambem gelei quando o zóiudo cumprimentou a Mary, e achei bem interessante a estóra de principes criados pelo proprio tio Lu. Só fiquei meio sem entender qual a diferença entre eles e os cavaleiros do inferno. De verdade não lembro se Lucifer criou as duas raças ou se foi Caim quem criou a ultima…mas enfim, acho que logo vamos ter noticias da mana do demo pescador. Só espero ( e acho que Crowley tambem) que ela não reivindique o trono. Aliás, falando no rei, eu quase esqueço da colt.Tambem to achando que todo o interesse por ela é sim por conta do fióte de coisa ruim. E falando no diabo: simplismente adorei rever Mark na pele do tio Lu ( ou vice- versa). Simplesmente fechou o episodio com chave de ouro! Muito melhor isso do que terem mandado ele de volta pra jaula do jeito que ele achara que tinham mandado.
    Vou ficar aqui na torcida pra que a lança possa ser consertada

    1. Lu Pires

      Oi, Cris! Que bom que vc achou meu texto! hahahaha
      Sobre os príncipes vs cavaleiros eu vou ficar te devendo a informação, porque realmente me perdi na mitologia… kkkkkkkkkkkkk mas vou dar uma olhada por aí! 😉
      Também tenho saudades do Cas, de quando ele tinha aquela carinha E aqueles poderes… haha eu queria postar uma foto da minha cachorra pra comparar as expressões, mas não encontrei uma boa… kkkkkkkkkkkkk
      Eu acho que a irmã do amarelão lá vai aparecer, e eu espero que ela venha como uma personagem forte, seja como antagonista, seja como aliada… mas que não deixem a sugestão de que ela pode aparecer no ar.. hehehe

      beijos e obrigada por comentar!!

  9. cris

    Aff…. meu vocabulario de repente se reduziu a tio Lu e simplesmente. Ta feia a coisa! rsrsrs

  10. Thays Minamaluka

    Boa análise, divertida. Eu pessoalmente gostei do episódio, achei mais bem amarrado do que os episódios anteriores porém algumas coisas que vc levantou na sua análise eu também pensei como você. Achei estranho a Colt brilhar, achei que podia ser algo bem mais pesado, tipo um receptáculo com várias almas ou algo assim, mas ver o Colt que já é uma coisa íntima nossa, ficou estranho. Mesmo assim fiquei feliz de rever a Colt, é quase como um retorno de personagem.

    Gostei muito desse príncipe do inferno e o fato de aproveitarem histórias antogas para fazer uma nova agora. Existe uma técnica na propaganda e na produção de texto que consiste nisso e dá um embasamento melhor para o texto. Eu me perdi um pouco no vai e volta cronológico deste episódio mas o fato de respeitarem acontecimentos de outras seasons é muito reconfortante.

    Mary… pessoinha difícil. Quanto masi vejo sobre ela masi me convenço que Sam puxou ao pai e Dean puxou à mãe. Ela sofre calada. Expressa seu sofrimento em trabalho e bebida, respostas sarcásticas e empenho para salvar quem ama. Isso porque para mim ela trabalha para os MOLB porque realmente acredita que eles podem dar um fim em todo o mal e o sobrenatural. Ela comprou mesmo aquela conversa de “imagine um mundo sem sobrenatural”. Por isso ela se sacrifica. E sofre. Ela não quer mais os filhos dela metidos nisso e vai fazer qualquer coisa para salvá-los. Isso é tão Dean.

    Eu gostei muito da conclusão que Castiel chegou nesse episódio. Em pensar que ele levou 8 temporadas para perceber que a família dele não é mais a família dos anjos! Tirar um “eu te amo” de um anjo que levou milênios para entender o que era o amor! Só isso para mim já valeria todo o episódio. Vale lembrar que anjos são assexuados, logo o amor que ele sente não pode ter conotação sexual (sorry destieis). Acho que quando ele diz que ama TODOS eles Castiel inclui a Mary, não só os meninos que passaram por tudo com ele. Ele agora entende o que o grande sabedor Bobby disse desde o começo: família não acaba só no sangue, família é quem está lá para você e não o que nasceu como seu parente.

    Crowley, puts como eu amo e odeio esse cara! Eu não engulo ele como um cara legal, nunca vou esquecer que é culpa dele se Dean não pode mais falar com a Lisa e o Ben, porém quando ele salvou o bacon do Cas DE NOVO eu quis beijar a tela do computador de tanta emoção. Ai que ódio, aí que amor, mas ai que raiva! kkkkkk

    Espero que aproveitem bem esse plot dos príncipes do inferno que podem ser muito bons em conjunto com o filhote de capeta que vai nascer, e espero também que o Colt seja o que vai matar o filhotinho de Satã, porque aí sim vai solucionar boa parte das teorias que nasceram na minha cabeça depois desse episódio!

    1. Lu Pires

      Oi, Thays! Gostei do que vc disse sobre a Mary ter puxado o Dean… ou melhor, o contrário… hehehehe durante a série a gente viu muitos comentários sobre Sam ser parecido com o pai, e teve a chance de realmente ver isso, mas nunca tivemos a chance de comparar a personalidade do Dean com a da mãe… muito interessante, adorei! E tbm faz sentido o que vc disse sobre ela ter sido atraída pelo papo de “sem mais monstros n mundo”. De repente, foi essa a “saída” que ela viu pra, de fato, conseguir tirar os filhos dessa vida que ela nunca quis pra eles… eu não tinha pensado nisso… vamos esperar pra ver!

      Eu tb amo e odeio o Crowley hahahahahahahahaha
      Obrigada por ler e por comentar!! =*

  11. Lani

    Eu Amei o episódio.. me surpreendeu muito em várias partes, mas a que me fez ficar louca foi ver o Mark como tio Lu novamente, a única coisa que pensei foi: agr sim, ele voltou! hahahahaha… to amando! esperando, ansiosamente, pelo desenrolar da coisa. Espero que tehamos mai episódios como esse. CARRY ON!!!
    XOXO

    1. Lu Pires

      Que os roteiristas te ouçam, Lani: mais episódios como esse! Com ação, com história, com avanço, mesmo trazendo coisa antiga, mas principalmente, sem enrolação! Amém! hahaahahaha Beijo!

  12. Lani

    Eu Amei o episódio.. me surpreendeu muito em várias partes, mas a que me fez ficar louca foi ver o Mark como tio Lu novamente, a única coisa que pensei foi: agr sim, ele voltou! hahahahaha… to amando! esperando, ansiosamente, pelo desenrolar da coisa. Espero que tehamos mai episódios como esse. CARRY ON!!!
    XOXO

  13. Lani

    Mais* to mal dos dedos! hahahhahaha

Leave a Comment